Arte de gramática da língua mais usada na costa do Brasil/IV

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Arte de gramática da língua mais usada na costa do Brasil por José de Anchieta
Dos nomes — Cap. IV


Os nomes não têm casos nem números distintos salvo vocativo, com esta diferença, a saber, que os que têm acento na última, nada mudam, ut abá, em todos os casos. Os que têm na penúltima perdem a última vogal no vocativo, vt túba, túb, xérúba, xérúb vel xérúp, xéraira, xerair vel xérait.

R, T comunicam-se in fine, pondo t pro r ut in præsenti exemplo, e também nos verbos, ut aiûr, aiût, mas na conjugação não se faz caso do t senão do r.

Este nome, guà vel ibià vel ibà, serve de suposto vago no plural nas terceiras pessoas por que não fique a oração sem suposto, como quando dizemos dizem, vão, irão, etc. que no português se diz bem, qua acrescentam-lhe este suposto, ut eygúa, dizem, oçôgua, vão, oçôguàne, irão e sic ibiá, ibá.

O plural se entende pelo que se trata, ou também acrescentando-lhe alguns nomes, que significam multidão, como, todos, tantos, quantos, muitos, etc. E este último é o usado para isto que é cetâ, e detrato c etâ, vt abà, homem, ou homens, abàeta, homens, oca, casa, vel casas, ócetà, casas.

Da composição dos Nomes.[editar]

Os nomes substantivos se compõem, com adjetivos, precedendo sempre os substantivos, e se têm acento na última ficam inteiros, ut mbaécatú, mbaé aĩba, nhungatú, nhúaìba.

Se têm acento na penúltima, e encontram com vogal perdem a última vogal, ut túba ete, tùbetè, pai verdadeiro.

Se encontram com consoante perdem toda a última sílaba, ut túba, catú, túcatû. Se a consoante seguinte é t vel ç com zeura dos que se mudam em r sempre se perde o ç fica como que encontrasse com vogal, ut túba, cetâ, túbetâ, abâ, cetâ, abâetâ.

Substantivos com substantivos, com a mesma mudança.

1. A primeira de letras se compõem de três maneiras, a primeira sendo aposto, e nesta sempre precede o nome mais usado, e universal, e genérico, ut

Mbaê, coisa Mbaêtatâ, coisa fogo, coisa que é toda fogo.
Tatâ, fogo

Mbaê pirâ, coisa peixe.

Sendo ambos iguais, ad libitum, vt guirâ iagoára, ave cão, jaguáguirâ, cão ave.

Nesta maneira de aposto não se perde o t como consta do exemplo, mbaêtatâ, porque perdendo-se significa não coisa que é toda fogo: senão coisa que tem fogo, mbaêatâ, mbaêtobâ, coisa que é toda rosto, mbaêobâ, coisa que tem rosto. Também pode ser genitivo possessivo, ut cãoîatâ, por cãoîratâ fogo de vinho, i com que se coze o vinho.

2. A segunda, se significam matéria, sempre precede a matéria, ut jtâ, ferro, pindâ, anzol, jtâpindâ, anzol de ferro, jtavúba, jtâatĩ etc.

3. A terceira, também se pode fazer quando o precedente é genitivo, se tem acento na penúltima, ut , mão, jaguápô, mão de cão, por jaguárapô, óca , casa , jtâ, esteio, ócitâ, esteio de casa. jaguâra, tobâ, jaguárobâ, ména, marido, tûba, pay, ménúba, sogro, mendúba, interposito d ut supra.

E ainda se soem compor tendo o precedente acento na última, ut cunumî, menino, téra, nome, cunumîéra, pro cunumîréra, pueri nomen, usus docebit.

O mais certo é que quando há esta composição de genitivo possessivo, mais quer significar coisa que tem, que o próprio genitivo, maxime nos que têm o acento na última, e o segundo há de perder o r ut Abâ, pessoa, Tobâ, rosto, Abâobâ, pessoa que tem rosto, ou alguma particularidade nele: Abârobâ, propriamente, hominis vultus.

Quando se significa alguma idade, ou tempo em que se fez alguma coisa, melhor se diz sem r ut no exemplo de, cunumî, que quer dizer menino, e idade de menino, xécunumîéra, o nome de minha meninice et sic de alijs etatibus, xerecocatûéra, o nome de minha virtude, i. do tempo da minha virtude.

Os numerais não chegam mais, que até número de quatro, e estes comumente se prepõem ao substantivo, ut.

1. Oiepê. Abâ, homem, homens.
2. Mocóỹ
3. Moçapîr.
4. Oyoirũdîc.

Também se podem pospor fazendo divisão, ut.

Moçapîr abâ oûr, três pessoas vieram.
Mocõi apiâba, dois machos.
Oyepê cunhã, uma mulher, vel.
Apiába mocõy, machos dois.
Cunhã ôyepê, fêmea, uma.

Estes adito a in fine ficam ordinais, e têm seu caso atrás em todas as pessoas e números, como genitivo, possessivo, ut.

xèmocõya. secundus à me.

xemoçapíra, tertius à me.

pero moçapíra, tertius à Petro, vel tertius Petri.

ymoaçapíra, tertius ab eo, vel ab eis.

Abâ mocõya, o segundo das pessoas, etc.

Sic mobîr, quot ymobíra, quotus eorum.

Os prepostos que têm acento na penúltima, se se põem inteiros têm a mesma significação de ordinais, ut ára, dia, moçapîr, três, ára moçapîra, dies tertius.

Se perdem a última sílaba querem dizer três, juntos, dois, quatro, ut ámoçapîra três dias juntos. Apiábamoçapîra o terceira dos homens, Apiámocapíra, três homens juntos, posto que estes últimos também podem servir de ordinais.

Se têm acento na última os prepostos, como não há de perder nenhuma letra, significa uma coisa, e outra, ut Abâmoçapîra, o terceiro dos homens, ou homemque tem três em si.

Para significar os outros ordinais additur este vocábulo çoára, ndoâra, yxoára, que todo é um no fim dos outros nomes, ou preposições, que quer dizer, estante, ou pertencente, ut Tenondé, diante, Tenondêçoára, o que está diante, Taquipoéri; detrás, Taquipoérixoára, o de trás, etc. , dianteira, Tĩmendoara, o da dianteira.

Nos futuros também do subjuntivo se põem para significar quando, e para quando, ut xèçóremendoâra, o tocante a quando eu fui.

Pretérito, xeçóremendaroéra.

Futuro, xeçóremendaráma, para quando eu for.

Outras maneiras há também dos verbais em ába, mas fique pera o uso.

Os mesmos nomes, servem por advérbios, mas na construção se conhecem, ut catú, bom, e bem, poxĩ, mau, e mal, e estes comumente se pospõem, ut Aicócatú, vivo bem, Aicópoxĩ, vivo mal.

Oyepê, um, e uma vez.
Mocõy, dois, e duas vezes.
Cetâ, muitos, e muitas vezes.
Mobîr, quantos, e quantas vezes.
, tantos, e tantas vezes.

Estes numerais melhor se prepõem, ut oyepêaçó uma vez fui.

Os outros advérbios de outras sortes, facilmente mostram sua construção pelo uso, com as mais partes da oração.