Em Tradução:Bíblia Aberta/Mateus/Capítulo 4

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Evangelho segundo Mateus


Esta página também faz parte do Projeto Bíblia Aberta.

A tentação de Cristo[editar]

1Em seguida Jesus foi conduzido pelo Espírito Santo até o deserto para ser tentado[1] pelo diabo. 2E depois de jejuar[2] quarenta dias e quarenta noites teve fome. 3Então o tentador chegou perto dele e disse:

- Se você é o Filho de Deus, mande que estas pedras se transformem em pão.[3]

4Jesus respondeu:

- Está escrito: "Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra[4] que procede da boca do Senhor."

5Em seguida o diabo levou Jesus até a Cidade Santa, e o colocou no lugar mais alto[5] do Templo, 6e lhe disse:

- Se você é o Filho de Deus, jogue-se daqui, pois está escrito[6]:

"Deus mandará que seus anjos cuidem de você. Eles te sustentarão com suas mãos, para que não tropece em pedra alguma."

7Jesus respondeu:

- Também está escrito: "Não tentarás o Senhor, teu Deus."

8Depois, o diabo o levou ao um monte muito alto, mostrou-lhe todos os reinos do mundo e as suas glórias</ref>

A terceira tentação oferece a Jesus um caminho para a realeza que evita a cruz.

</ref> 9e disse:

- Eu lhe darei tudo isso se você se prostar e me adorar[7]. 10Então Jesus ordenou:

- Vai embora[8], Satanás! Pois, está escrito: "Ao Senhor, teu Deus adorarás, e só a ele darás culto."

11Com isso o Diabo foi embora, e vieram anjos e cuidaram de Jesus.[9]

Jesus começa seu trabalho na Galiléia[editar]

12Quando Jesus soube que João tinha sido preso foi para região da Galiléia. 13Partiu de Nazaré[10] e foi morar em Cafarnaum, na beira do lago da Galiléia, nas regiões de Zebulom e Naftali. 14Isso aconteceu para se cumprisse o que foi dito por meio do profeta Isaías:

15"Terra de Zebulom, e terra de Naftali, na direção do mar, do outro lado do rio Jordão, Galiléia dos pagãos[11]! 16O povo assentado na escuridão viu uma grande luz! Aos que viviam na escura região da morte, brilhou uma luz."

17Dai em diante Jesus começou a anunciar a sua mensagem. Ele dizia:

- Mudem de vida![12] Pois o Reino do Céu está próximo!

Jesus chama quatro pescadores[editar]

18Jesus estava andando pela beira do lago da Galiléia, quando viu dois irmãos: Simão, também chamado de Pedro, e André. Eles estavam no lago, pescando com redes. 19Ele lhes disse:

- Venham comigo que eu ensinarei vocês a pescar gente.

20Então eles largaram logo as redes e foram com Jesus. 21Um pouco mais adiante Jesus viu outros dois irmãos, Tiago e João, filhos de Zebedeu. Eles estavam no barco junto com o pai, consertando as redes quando os chamou. 22E imediatamente deixaram o pai e o barco e foram com ele.

Jesus ensina e cura as multidões[editar]

23Jesus andou por toda a Galiléia[13], ensinando nas sinagogas, anunciando a boa notícia[14] do Reino e curando todo tipo de doenças e enfermidades do povo. 24Sua fama se espalhou por toda a região da Síria e traziam a ele todos que sofriam de doenças e tormentos: lunáticos[15], paralíticos e pessoas endemoninhadas. E ele curou a todos. 25Grandes multidões o seguiam, eram pessoas da Galiléia, das Dez Cidades, de Jerusalém, da Judéia e das regiões para além do rio Jordão.

Notas[editar]

  1. Após a gloriosa evidência do amor do Pai, Jesus estaa armado para seu primeiro combate, num anúncio de que após sempre que somos comtemplados com muita luz e consolação devemos então esperar as maiores tentações. Tentação aqui é subentendida como uma instigação feita de fora, contudo Deus mesmo não tenta ninguém, contudo até as tentações que sofremos são incluidas em seus planos para o nosso bem, ver Tg 1,13. Quando as vencemos, somos fortalecidos, quando sucumbimos, reconhecemos mais claramente a necessidade da misericórdia de Deus, sua santificação e graça. Jesus não podia apresentar tend~encia alguma para o mal de modo a ser um sacrifício digno por nossos pecados. Assim como o batismo no rio Jordão foi um paralelo a passagem dos hebreus pelo mar vermelho, a tentação de cristo recorda os quarent anos de provação de Israel no deserto, Jesus está reescrevendo em si mesmo toda a história de seu povo.
  2. Por jejuar, sabemos que Jesus não foi pego de surpresa. Ele se preparou para as dificuldades que enfrentaria. Jejuou por quarenta dias e quarenta noites, como Moisés, que trouxe a Lei, e Elias seu maior restaurador.
  3. As tentações apelam as motivações comuns aos humanos, impulsos físicos, orgulho e desejo de possessões. Contudo cada uma delas apela também para o direito divino de Jesus como Filho de Deus. Jesus é tentado com tudo aquilo que nós também somos tentados, mas não peca. Por meio de sua natureza humana ele sabe o que é resistir a tentações e assim nos representa diante de Deus.
  4. Em Dt 8,3 isso se refere a Palavra de Deus como orientação no deserto em relação a sua provisão de maná. Cristo sabia que o amor de Deus o sustentaria, portanto não havia necessidade de realizar um milagre para produzir pão. É interessante notar que Jesus responde a cada tentação reportando-se as Escrituras sagradas, ele usou a A "espada do espírito", ver Ef 6,17, para obter vitória em sua luta espiritual.
  5. O lugar mais alto do templo ficava sobre a extremidade do vale de Cedrom, onde havia uma enorme queda que seguia até o nível mais fundo do vale.
  6. O diabo cita as Escrituras, mas usa o Salmo 91 de um modo exatamente oposto ao do sentido original, que é uma exortação para se confiar em Deus. Quem confia, não precisa de testes, pois não tem dúvidas sobre a fidelidade de Deus.
  7. Aqui, o diabo claramente mostra quem é. Cristo responde chamando-o pelo nome, como não havia feito antes.
  8. Literalmente, Vá de retro, ou Coloque-se atrás. Ou seja, coloque-se no seu lugar. as mesmas palavras serão usadas mais a frente para repreender Pedro.
  9. Os anjos vieram então para cuidar dele e glorificá-lo por sua vitória. Entre as tentações de Cristo e a narrativa que se segue medeiam vários meses, cuja história encontramos em Jo 1,
  10. Em tempo, isso aconteceu quando a cidade rejeitou a ele e sua mensagem e o ameaçaram de morte, ver Lucas 4,29.
  11. O livro de Mateus realça o enfoque de jesus sobre a Nação de Israel em sua missão terrena. Contudo sua observação de que jesus cumpre Isaías 9,2 mostra que o mandato de ir aos getios não é uma reflexão posterior; o propósito final sempre incluiu todas as nações.
  12. Metanoeh'o, traduzido aqui como Mudem de vida é a mesma palavra usada no discurso de João Batista no Capítulo 3. Toda mudança na vida começa com uma nova atitude mental. Quem se arrepende muda sua maneira de ver a si mesmo, a criação, aos seus próximos e a Deus. Ver mt 6, 22-23, Pv 4,23, Fil 2,5.
  13. Jesus percorria toda a Galiléia, o que indica um trabalho de grande envergadura em que centenas de vilas e cidades receberam os benefícios da visita de Jesus.
  14. Evangelho é sinônimo de boa notícia, ou mais literalmente notícia feliz, é o nome clássico da religião de Cristo e seus discípulos.
  15. Luáticos, O único outro lugar onde esta palavra aparece é em Mt 17,15 onde é aplicada a um menino endemoninhado que exibe sintomas de ataque epiléptico.