Em Tradução:Bíblia Aberta/Mateus/Capítulo 6

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Evangelho segundo Mateus


Esta página também faz parte do Projeto Bíblia Aberta.

Sobre as boas ações[editar]

1- Tenham cuidado para não praticarem suas boas ações diante das pessoas pensando em serem vistos por elas. Se agirem assim, não receberão nenhum mérito do vosso Pai que está no céu. 2Quando você der algo a uma pessoa necessitada não digas ao teu amigo, para este anunciar aos outros, como fazem os insensatos

Nas escrituras gregas, o hipócrita é aquele que alega ter um relacionamento com Deus e amara a justiça, mas que está buscando o seu próprio interesse enganando a sí próprio e aos outros, mas nunca a Deus. Note que os hipócritas do cap 23 não tem consciência da própria hipocrisia.

</ref> nos locais de culto e nas ruas para serem elogiados pelos outros. Eu afirmo a verdade a vocês: eles já receberam a sua recompensa. 3Mas você, quando ajudar alguma pessoa necessitada não deixe ninguém saber. 4Assim sua ajuda fica oculta [ das pessoas] e o seu Pai, que o vê o que tu fez ocultamente lhe recompensará.

Sobre a oração[editar]

5- Quando vocês orarem, não sejam como os hipócritas. Eles gostam de orar de pé nas sinagogas e nas esquinas das ruas para serem vistos pelos outros. Eu afirmo a vocês que isto é verdade; eles já receberam a sua recompensa. 6Mas você quando for orar, vá para o seu quarto, feche a porta e ore ao seu Pai, que não pode ser visto. E o seu Pai, que o vê em segredo lhe recompensará. 7E quando estiver orando não use repetições vazias[1], como fazem os gentios. Eles pensam que por muito falar Deus os ouvirá. 8Não sejam como eles, pois antes mesmo de vocês pedirem, o Pai de vocês já sabe o que vocês precisam.[2] Portanto, orem assim:[3]

9Pai nosso que está no céu, santificado seja o teu nome. 10Venha a nós o Teu Reino. Seja feita a Tua vontade, aqui na terra, como no céu. 11O pão nosso de cada dia[4], dá-nos hoje, 12e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos os que nossos devedores.[5] 13E não induza-nos à tentação,[6] e lívra-nos do mal. Pois Teu é o Reino, o poder e a glória para sempre. Amém!

14- Porque se vocês perdoarem as pessoas que ofenderem a vocês, o Pai de vocês que está no céu, também os perdoará. 15Mas se não perdoarem essas pessoas, o Pai de vocês também não perdoará as ofensas de vocês.

Sobre o jejum[editar]

16- Quando jejuarem não façam uma cara triste como fazem os hipócritas, pois eles fazem isso para todos saberem que estão jejuando. Eu afirmo a vocês que isto é verdade: eles já receberam a sua recompensa. 17Mas você quando for jejuar, se arrume e lave o rosto 18ara que os outros não saibam que você está jejuando. E somente o Pai, em segredo, saberá que você está jejuando. E o seu Pai, que vê o que você faz em segredo, lhe recompensará.

Tesouros no céu[editar]

19- Não acumulem tesouros aqui na terra, onde as traças e a ferrugem[7] corroem, e onde os ladrões arrombam e roubam. 20Pelo contrário acumulem tesouros no céu, ondenem as traças nem ferrugem corroi, e onde os ladrões não arrombaram nem roubam. 21Pois onde estiverer seu tesouro, ai estará o seu coração.

A visão das coisas[editar]

22- Os olhos são as lâmpadas do corpo[8]: quando teu modo de olhar for simples, todo o seu corpo estará saudável.[9] 23Mas se teu modo de olhar for maldoso, teu corpo estará doente. Assim, se você acha bom o que é mau, quanto imensa será sua enfermidade!

Os dois senhores[editar]

24- Ninguém pode servir a dois senhores, pois vai se aborrecer com um e amar o outro, ou será fiel a um e desprezará o outro. Vocês não podem servir a Deus e a Mammon.

Inquietações da vida[editar]

25- Por isso eu digo: não fiquem ansiosos com a comida e com a bebida que precisam para viver nem com a roupa que precisam para o corpo. Afinal não é a vida mais importante do que a comida? E não é o corpo mais importante do que as roupas?

Ou seja, quem se preocupa em servir a Deus, não precisa se preocupar excessivamente com mais nada.

26- Vejam os passarinhos que voam pelo céu: eles não semeiam[10], não colhem, nem guardam comida. No entanto, o Pai de vocês, que está no céu dá de comer a eles. Ora, será que vocês não valem muito mais do que os passarinhos? 27E qual de vocês, por mais ansioso que esteja pode adicionar um momento sequer a própria vida?[11]

28- E porque ficam ansiosos com roupas? Vejam como crescem as plantas do campo[12]: eles não trabalham, nem fiam. 29Mas eu afirmo a vocês que nem Salomão, sendo tão rico jamais se vestiu como um deles. 30Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje dá flor e amanhã é lançada no forno, não é claro que ele vestirá vocês também, homens de pouca fé? 31Por isso não fiquem inquietos se perguntando[13]: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Que vestiremos? 32São os pagãos que estão sempre procurando essas coisas e o Pai de vocês que está nos céus, sabe que vocês precisam de tudo isso. 33Busquem em primeiro lugar o seu reino e sua justiça[14] e então todas essas outras coisas serão acrescentadas.

34- Portanto, não fiquem preocupados com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados.[15] Para cada dia basta as seu próprio mal.

Notas[editar]

  1. Repetições vazias, são repetições vãs, sem significado. Devemos ser extremamente cuidadosos em nossas preces com o que dizemos e dizermos apenas aquilo que está no fundo de nossos corações. Estas vãs repetições, condenadas aqui são ainda usadas e o mais perigoso, bastante comuns. Essa proibição não contradiz o princípio de continuarmos pedindo a Deus aquilo que cremos ser da sua vontade, ver Lc 18, mas corrige o conceito de que Deus se impressiona com a quantidade de palavras.
  2. Na perspectiva cristã, não se deve orar para informar Deus de nossas vontadess. Deus sabe tudo e não precisa ser informado de nada, e Ele sempre deseja nosso bem. Tudo o que se precisa fazer é nos colocarmos dispostos a receber suas graças e bençãos. Consequentemente o maior papel da oração é extreitar nosso relacionamento com Deus e nos tornar conscios de nossa dependência de Deus.
  3. Essa oração é um modelo dado por Cristo aos seus discipulos. Ela primeiro se preocupa em pedir que Deus seja glorificado e depois pelas necessidades coletivas da vida humana.
  4. A palavra aqui traduzida como "de cada dia" é usada apenas nesta oração. Pode ser entendida como o pão "diário", "necessário", "do futuro próximo". Há ainda três interpretações básicas para ela na cristandade. O ponto de vista sacramental é que este pão se refere ao pão recedido da Santa Ceía. Outro ponto de vista é que ele simboliza o reino que virá. Uma terceira interpretação diz ainda que trata-se de uma súplica pela provisão de nossas necessidades físicas.
  5. No cristianismo a fé e o comportamento são inseparáveis. Os cristãos perdoam os outros em resposta ao perdão de Deus, ver 18,32; da mesm forma se não perdoamos os outros não podemos clamar pelo perdão de Deus para nós mesmos.
  6. Os perdoados oram que Deus não os deixe cair novamente, pois confiam em Deus e não confiam em si mesmos. O Pai pode submeter-nos a prova, ver Mt 4,1 e Dt 8,2, mas não permitirá que sejamos tentados além de nossa capacidade, ver ICor 10,13
  7. Ferrugem, refere-se não apenas a ferrugem normal, mas também ao mofo ou bolor que faz apodrecer a madeira ou coisas semelhantes. Todas as coisas materiais estão sujeitas a decadência ou à perda.
  8. Os olhos são a lâmpada do corpo, a intenção é a lâmpada da alma. É interessante notar a importância que Jesus dá para apureza de intenção, até sobre os desejos e cuidados mundanos. Se seus olhos estiverem focados em Deus e seu Reino, sua alma toda será santidade e felicidade, ainda que sob as piores ou mais estranahs circustâncias.
  9. Os bons olhos, olham para Deus como seu "senhor", ver Mt 24e enchem a pessoa com a luz da vontade de Deus. A vida toda da pessoa está determinada pela espécie de luz que seus olhos admitem.
  10. O caso não é que os passarinhos sejam ociosos, pois um pássaro adulto não fica no ninho com o bico aberto. A questão é que os passarinhos não se desesperam co o futuro. A preocupação ansiosa mostra falta de confiança no conhecimento, poder ou bondade de Deus.
  11. Outra tradução possível seria, "acrescentar um côvado a sua estatura".. De qualquer forma, acrescentar um côvado (44cm) na altura, ou um período de tempo a própria existência é um poderio que escapa das capacidades de qualquer ser humano.
  12. As plantas do campo, esse expressão inclui as hervas, as folhas e as flores. E realmente a passgaem só tem sentido com essa tradução, pois ninguém colhe flores para jogar no fogo.
  13. Não fiquem inquietos, Não tenham medo. quão confortante para o cristão é saber que estas palavras ieram do próprio Cristo, aquele que fez o mundo. Portanto, não sejamos ingratos, nem machuquemos a nós mesmos perturbando e oprimindo nossas mentes com o fogo da ansiedade. No lugar disso, nos coloquemos no lugar de verdadeiros filhos de Deus, que nós ama e sabe melhor do que nós de tudo aquilo que realmente precisamos.
  14. Jesus exorta-nos a fazer do governo soberano de Deus e do correto relacionamento com ele, a mais alta prioridade em nossas vidas. A inquietação com coisas terrenas é incoerênte com esta prioridade pois revela dúvida a respeito da soberania e bondade de Deuse nos desvia dos verdadeiros objetivos de uma vida cristã. A história da Bíblia relata que Deus satisfaz todas as necessidades daqueles que arriscam tudo por ele.
  15. O amanhã trará seus próprios cuidados, ou seja, inquiete-se do amanhã quando ele chegar. O bom Deus já têm todos os nossos dias planejados, ver Lc 17,7 e diariamente ele nos agracia com o sustento e desafios que precisamos segundo a força e necessídades de cada um.