Cantigas de Santa Maria/CCLIII

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Cantigas de Santa Maria por Afonso X
Cantiga CCLIII


Como un romeu de França que ya a Santiago foi per Santa Maria de Vila-Sirga, e non
pod' en sacar un bordon de ferro grande que tragia en pedença.

De grad' á Santa Maria mercee e piadade
aos que de seus peccados lla pede[n] con omildade.

Ca pola sa omildade é ela lum' e espello
de todo-los peccadores, e abrigo e conssello;
e a ssa virgidade legou forte no vencello
o demo que nos quisera todos meter so sa grade.
De grad' á Santa Maria mercee e piadade...

Roga senpr' ao sseu Fillo esta Virgen corõada
polos erros que fazemos en esta vida minguada
que nos perdon os pecados, ca x'é nossa avogada.
Poren dela un miragre direy, e vos m'ascuitade:
De grad' á Santa Maria mercee e piadade...

Un ome bõo morava ena vila de Tolosa
que, como quer que pecasse, ena Virgen groriosa
sempr' avia gran fiança; mais a Sennor piadosa
mostrou-lle ben que avia del mercé de voontade.
De grad' á Santa Maria mercee e piadade...

O ome bõo entendeu que andava en pecado,
e foi-sse confessar logo; e pois foy ben confessado,
recebeu en pedença que fosse logo guisado
pora yr a Santiago, ca lle mandou seu abade.
De grad' á Santa Maria mercee e piadade...

Des i un bordon levasse de ferro en que ouvesse
de livras viint' e quatro e, como quer que podesse,
a ssas costas ou na mão o levass' e o posesse
ant' o altar de San Jame, e non foss' en poridade.
De grad' á Santa Maria mercee e piadade...

El fez log' o mandamento de seu abade sen falla,
e o bordon fazer toste mandou, assi Deus me valla,
de viint' e quatro livras, que non mingou nimigalla;
ssequer vi eu queno vira, que m'en contou a verdade.
De grad' á Santa Maria mercee e piadade...

E el indo per Castela con seu bordon francamente,
a eigreja do caminno viu logo mantente
que chaman de Vila-Sirga, e preguntou aa gente
por aquel que logar era; e disse-ll' enton un frade:
De grad' á Santa Maria mercee e piadade...

«Ali chaman Vila-Sirga, logar muy maravilloso,
en que muito bon miragre sempre faz e saboroso
a Santa Virgen Maria, Madre do Rey poderoso;
e a eygreja é sua e derredor a erdade.»
De grad' á Santa Maria mercee e piadade...

O romeu, que muit' amava a Virgen de ben conprida,
desviou-sse do camo e fez enton alá yda
e meteu-sse na ygreja, u ssa oraçon oyda
foi da Virgen groriosa, en que á toda bondade.
De grad' á Santa Maria mercee e piadade...

E perdon de seus peccados pidiu ben ali logo
e diss': «Ai, Santa Maria, por esto perdon te rogo.»
E tan tost' o bordon grosso quebrou pelo meo logo,
que posera con ssa mão el ant' a ssa Magestade.
De grad' á Santa Maria mercee e piadade...

El vyu o bordon quebrado assi e maravillo[u]-sse
que en duas peças caeu ja ffeit', e poren sinou-sse
e quantos ali estavan; des y enton levantou-sse
por ss' ir e dali leva-lo por gãar ssa caridade.
De grad' á Santa Maria mercee e piadade...

E o bordon que jazia en duas peças no chão,
nono tyrou da ygreja, pero era bon crischão,
per poder que el ouvesse; e poren teve por vão
seu cuid', e disse chorando: «Ay, Madre de Deus, catade
De grad' á Santa Maria mercee e piadade...

A vossa mui gran mercee e non a mia desmesura
grand' e sobeja e fera, que me fez fazer loucura
d' eu querer o bordon vosso levar; mais vos, Virgen pura,
valla-mi a bondade vossa, e esto me perdõade.»
De grad' á Santa Maria mercee e piadade...

E contou a razon toda como o bordon levava,
assi como ja oystes; e cada u loava
Deus e a ssa Virgen Madr', e a crerizia cantava
log' aly «Salve Regina», loand' a virgidade
De grad' á Santa Maria mercee e piadade...

Desta Virgen groriosa que tal miragre fezera.
E per aquel entenderon que o ome bõo era
solto de ssa pedença, pois que lle tolleu tan fera
carrega que el levava do ferr' e de ssa maldade.
De grad' á Santa Maria mercee e piadade...

Des i log' a Santiago foi conprir sa romaria;
e pois tornou a ssa terra, serviu muy ben todavia,
enquanto viveo, de grado a Virgen Santa Maria.
E por aqueste miragre todos ll' agora rogade
De grad' á Santa Maria mercee e piadade...

Que nos dé en este mundo a ffazer o sseu serviço
e nos guarde de peccado, d'err' e de mao boliço,
ssi que todos merescamos vivermos por senpr' en viço
con ela e con seu Fillo; e poren «amen» cantade.
De grad' á Santa Maria mercee e piadade...