Contos Tradicionaes do Povo Portuguez/Lenda da Lua e da Agua

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Contos Tradicionaes do Povo Portuguez por Teófilo Braga
188. Lenda da Lua e da Agua



188. LENDA DA LUA E DA AGUA

Quando Deus foi fazer o Inferno deixou Luz-Vella na cadeira d’elle; quando veiu não lhe quiz Luz-Vella restituir a cadeira, allegando que o Senhor lh’a tinha dado.

Dizia o Senhor:

— A cadeira é minha, emprestei-t’a, não t’a dei.

Luz-Vella ateimava muito e poz uma demanda com o Senhor. O Senhor apresentou a Lua, a Agua e o Sol como testemunhas de que tinha emprestado e não dado a cadeira. A Lua e a Agua juraram falso; o Sol jurou a verdade, dizendo ao Senhor:

— O que é dado é dado; o que é vendido é vendido; o que é emprestado é emprestado. Portanto a cadeira é vossa.

Deus então castigou a Lua (que era tão linda como o Sol) tirando-lhe os raios para os dar ao Sol; castigou a Agua, obrigando-a a correr sempre, sem nunca estar queda.

(Famalicão.)