Contos Tradicionaes do Povo Portuguez/O signal da Nobreza

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Contos Tradicionaes do Povo Portuguez por Teófilo Braga
103. O signal da Nobreza



103. O SIGNAL DA NOBREZA

Chegou-se um pobre ao pé de um individuo que parecia aceiado, e reparando-lhe para o pescoço, disse:

— Dê-me licença de lhe tirar uma pulga.

O outro consentiu, e assim que viu a pulga, metteu a mão na algibeira e deu um pinto ao pobre em recompensa.

Um outro pobre que observou o acontecido, entendeu para si que se elle dava um pinto a quem lhe tirava uma pulga, o que não daria a quem lhe achasse um piolho.

Aproximou-se tambem do individuo, e disse:

— Dê-me licença, o senhor, de lhe tirar um piolho do casaco.

De facto tirou-lhe um piolho, mas o homem não lhe deu nada, e repelliu-o.

— Então o senhor dá um pinto a quem lhe tira uma pulga, e escorraça quem lhe cata um piolho?

— É verdade; você fique sabendo que as pulgas são dos cães, e os piolhos dos fidalgos.

E foi-se andando como quem estava certo da sua nobreza.

(Sardoal.)