Contos Tradicionaes do Povo Portuguez/Os duzentos carneiros

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Contos Tradicionaes do Povo Portuguez por Teófilo Braga
118. Os duzentos carneiros



118. OS DUZENTOS CARNEIROS

Era uma vez um pastor, e andava no matto com duzentos carneiros; veiu uma trovoada, e elle quiz recolher o rebanho para o curral, chamou os carneiros e pôz-se a caminho. Chegou ao pé de um rio muito fundo, onde havia uma ponte, e de cada vez só podia passar um carneiro. Começou a passar um a um.

(N'este ponto o narrador cala-se, e as crianças que o escutam, depois de alguns momentos, vem com a pergunta:)

— E depois? O que aconteceu ao pastor?

— Esperem que os carneiros estão passando.

(E assim se logram as crianças, com a mesma resposta que os põe á espera.)




Notas[editar]

118. Os duzentos carneiros. — É um conto typico; encontra-se no Castoiement d'un Père à son Fils; nas Cento Novelle antiche, n.º XXX; no Don Quijote e no Recueil de Fabliaux, p. 1, Paris, 1829. (Bibl. choisie.)