Contos de Grimm/O casamento da dona raposa

Wikisource, a biblioteca livre
< Contos de Grimm
Ir para: navegação, pesquisa
Contos de Grimm
por Irmãos Grimm
38 - O casamento da dona raposa

O casamento da dona raposa[editar]

Primeira história[editar]

InicialE.svg
ra uma vez um velho raposo que tinha nove rabos, e que achava que a sua esposa não era fiel à ele, e que estava tentando traí-lo. Ele ficou deitado debaixo do banco, sem se mover, e se comportou como se estivesse morto como uma pedra. A Senhora Raposa foi até o quarto dela, se fechou lá dentro, junto com o seu namorado. A Senhorita Gata, estava sentada ao lado do fogão, e cozinhava. Quando ela ficou sabendo que o velho raposo havia morrido, pretendentes começaram a aparecer. A criada ouviu quando alguém chegou à porta da casa e bateu. Ela foi atender e abriu a porta, e era um jovem raposo, que disse,

"O que você está fazendo agora, Senhorita Gata?
Você está dormindo ou acordada?"

Ela respondeu,

"Eu não estou dormindo, estou acordada,
Queres saber o que estou fazendo?
Estou preparando uma deliciosa cerveja com manteiga,
O cavalheiro quer entrar e beber alguma coisa?"

“Não, obrigado, senhorita,” disse o raposo, “o que a Senhora Raposa está fazendo?” A criada respondeu,

"Ela está sozinha em casa,
E está se lamentando.
Chorando até os olhos ficarem vemelhos,
Porque o Senhor Raposo morreu."

"Então, diga a ela, senhorita, que um jovem raposo está aqui, e gostaria de cortejá-la." "Certamente, meu jovem."

A gata então, subiu as escadas e ouve-se trip, trap.
Ela bateu na porta fazendo tap, tap, tap,
"Dona Raposa, a senhora está aí dentro?"
"Ó sim, minha gatinha," ela exclamou.
"Tem um pretendente lá fora querendo falar com a senhora."
"Diga-me como ele é, minha querida?"

"Ele tem nove rabos belíssimos como o falecido Senhor Raposo?" "Oh, não," respondeu a gata, "ele tem somente um."

"Então, não quero conhecê-lo." A Senhorita desceu as escadas e mandou o pretendente embora. Pouco depois, alguém bate à porta, e um outro raposo estava à porta e queria cortejar a Senhora Raposa. Ele tinha dois rabos, mas a sua sorte não foi melhor que a do primeiro. E depois deste, outros também vieram, cada um com um rabo a mais que o anterior, mas todos foram rejeitados, até que finalmente veio um que tinha nove rabos, como o velho Senhor Raposo. Quando a viúva ficou sabendo, ela disse alegremente para a gata,

"Agora podem abrir bem os portões e as portas,
E coloquem o Senhor Raposo que morreu lá pra fora."

Mas quando o casamento estava para ser realizado, o velhor Senhor Raposo se mexeu debaixo do banco, e começou a dar cacetadas no sem vergonha, e expulsou a Senhora Raposa e todos para fora de casa.

Segunda história[editar]

Quando o velho Senhor Raposo havia morrido, o lobo apareceu como pretendente, e bateu na porta, e a gata que, era a criada da Senhora Raposa, abriu a porta para ele. O lobo a cumprimentou, e disse,

"Bom dia, Senhorita Gata de Monte Cristo,

Porque você está sentada aí sozinha?

O que você está fazendo de bom?"

A gata respondeu,

"Estou fazendo pudim de pão com leite,
O cavalheiro gostaria de entrar e comer um pouco?"
“Não, obrigado, Senhorita Gata,” respondeu o lobo.
“A Senhora Raposa não está em casa?” A gata respondeu,
"Ela está no quarto dela lá em cima,
Lamentando seu triste destino,
Chorando dolorosamente suas preocupações,
Porque o Senhor Raposo não vive mais."

O lobo respondeu,

"Se ela estiver precisando de um marido agora,
Então, será que ela poderia descer um pouquinho até aqui embaixo?"
A gata sobiu correndo as escadas,
Mexendo com o rabo de um lado e de outro,
Ela então chegou na porta do gabinete.
Com seus cinco aneis de ouro e bate na porta,
"A senhora está aí dentro, minha boa Senhora Raposa?
Se a senhora estiver precisando de um marido agora.
Então, será que a senhoria poderia descer um pouquinho lá embaixo?"

A Senhora Raposa perguntou, "Pode me dizer se o cavalheiro está usando meias vermelhas e tem uma boca pontuda?" "Não," respondeu a gata. "Então ele não serve para mim."

Quando o lobo foi embora, veio um cachorro, um veado, uma lebre, um urso, um leão, e todos os animais da floresta, um após o outro. Mas um dos pontos positivos que o velho Senhor Raposo possuía, estava sempre faltando, e a gata continuava a expulsar os pretendentes. Até que um jovem raposo apareceu. Então a Senhora Raposa disse: "Pode me dizer se o cavalheiro está usando meias vermelhas, e possui uma boca pontuda?" "Sim," respondeu a gata, "ele possui." "Então, faça com que ele suba até aqui," disse a Senhora Raposa, e mandou que a criada gata preparasse a festa de casamento.

"Varra o quarto e deixe-o o mais limpo que puder,
Abra a janela e jogue o meu ex-marido que morreu lá pra fora!
Porque ele trouxe muitos ratos gordos e deliciosos para casa,
Mas na sua esposa ele nunca pensou.
Mas comia tudo que caçava."

Então, o casamento foi realizado com o jovem Senhor Raposo, e todos se divertiram e dançaram; e se ainda não tivesse sobrado nada, estariam dançando até agora.



O casamento da Dona Raposa

Referências Externas[editar]