Depois que todos foram

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Depois que todos foram
por Fernando Pessoa


Depois que todos foram
E foi também o dia,
Ficaram entre as sombras
Das áleas do ermo parque

Eu e a minha agonia.
A festa fora alheia
E depois que acabou
Ficaram entre as sombras

Das áleas apertadas
Quem eu fui e quem sou.
Tudo fora por todos.
Brincaram, mas enfim

Ficaram entre as sombras
Das áleas apertadas
Só eu, e eu sem mim.
Talvez que no parque antigo

A festa volte a ser.
Ficaram entre as sombras
Das áleas apertadas
Eu e quem sei não ser.