Desce a névoa da montanha

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Desce a névoa da montanha
por Fernando Pessoa
2-9-1935


Desce a névoa da montanha,
Desce ou nasce ou não sei quê...
Minha alma é a tudo estranha,
Quando vê, vê que não vê.
Mais vale a névoa que a vida...
Desce, ou sobe: enfim, existe.
E eu não sei em que consiste
Ter a emoção por vivida,
E, sem querer, estou triste.