Diccionario Bibliographico Brazileiro/André Nunes da Silva

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Diccionario Bibliographico Brazileiro por Sacramento Blake
André Nunes da Silva


André Nunes da Silva - Foi sempre reputado como natural do Rio de Janeiro, mas o autor do Diccionario bibliographico portuguez o dá como nascido em Lisboa a 30 de novembro de 1630, e fallecido a 3 de maio do 1705, Na duvida entendi que não devia deixar de incluir seu nome no meu livro.

Foi presbytero do habito de S. Pedro, e não theatino, como diz José Augusto Salgado em sua Bibliotheca luzitana escolhida, sem duvida pelo facto de so ter o padre André Nunes recolhido, em 1684, á ordem de S. Caetano dos clerigos regulares da Divina Providencia, onde morreu; era formado em direito canonico na universidade de Coimbra, socio da academia dos Singulares e poeta; e o facto de ser seu nome incluido na Bibliotheca de Salgado demonstra que era poeta distincto e applaudido na época em que floresceu.

Sua biographia foi cscripta pelo reverendo Thomaz Caetano da Silva, e vem nas Memorias historicas e chronologicas dos clerigos regulares, tomo 1°, de pag. 465 a 493.

Escreveu:

- Poesias varias, sacras e profanas. Lisboa, 1671. - E' um volume de 288 paginas, muito raro, mesmo em Portugal, onde foi publicado, - Hecatombe sacra ou o sacrificio de cem victimas em cem sonetos; em que se contêm as principaes acções da vida de S. Caetano. Lisboa, 1686, 127 pags. - E' tambem raro.

- Voto metrico e anniversario á Conceição da Virgem Nossa Senhora. Lisboa, 1695, 138 pags. in 8° – 2ª edição, posthuma. Lisboa, 1716. A primeira é uma collecção de sonetos, todos compostos pelo padre André Nunes; a segunda contém mais dez sonetos do clerigo regular Manoel Tojal da Silva, consagrados tambem á Conceição da Virgem Santissima.

- Diversas poesias - que se acham nos dous volumes da academia dos singulares a que pertencia o autor e nos Applausos da victoria do Ameixical.

Além das composições poeticas mencionadas, escreveu muitas outras cujos manuscriptos ficaram na casa de S. Caetano, onde vivera muitos annos, e passaram para a bibliotheca nacional de Lisboa.