Diccionario Biographico de Musicos Portuguezes/A

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Diccionario Biographico de Musicos Portuguezes por José Mazza
A


     Afonso Vaz da Costa, floreceo no seculo de 500 recebeu em Roma os maiores aplausos, foi rogado / fazendo-lhe avultados ,partidos / para Mestre da cappela de algumas catedraes, sendo provido na de Badajós, e depois em Ávila, aonde falesseu no principio do seculo de 600 as suas obras muzicas principalmente as sagradas, mandou buscar a Hespanha o sirinissimo senhor Rey D. João 4.º e as mandou por na sua Biblioteca Real de Muzica.

     Agostinho de Castro D.. F. natural de Lx.ª nasceo em 16 de Outubro de 1537. forão seus Pais D. Fernando de Castro Governador da Caza do Civel de Lx.ª e D. Maria de Ayala filha do Conde de Monsanto, de Religioso Erimita de S.to Agustinho, passou a ser Arcebispo de Braga, foi muito perito na Arte da Muzica, compos hum livro de Missas, e outras obras excelentes, falesseo era 1609 quando contava 72 annos de idade, e 21 de Arcebispo, sagrou a sua Cathedral em 28 de Julho de 1592 e escreveo muitas obras scientificas como fazem menção Fr. Bernardo de Brito, Mon. Lusit. Part. 2. Liv. 5 Cap. 7. D. Mauro Castel. Ferrer. Hist. de S. Tiago Liv. 1.° cap. 16.

     Agostinho da Cruz D. natural de Braga, Conigo regular da Con­gregação de S. Cruz de Coimbra, cujo habito recebeo em Lx.ª no real Convento de S. Vicente de Fora a 12 de Setembro de 1609, foi piritissimo na Muzica, e insigne tangedor de rabeca e orgão, foi Mestre de Coro no Convento de S. Vicente, entre as muitas obras que compos, as que meresserão maiores estimações aos Professores, forão as seguintes. Prado Mu­sical para orgão, foi esta obra dedicada ao senhor Rey D. João 4.° Duas artes, huma de canto chão por estilo novo, outra de orgão com figuras muito curiosas, compostas no anno 1632 offerecidas ao mesmo sñr. Com­pos mais hum Livro intitulado Lira de Arco, ou arte de tanger rabeca oferessido a D. João Mascarenhas conde de S. Cruz.

     Agostinho do Sacramento Fr. religioso de S. Paulo primeiro Ere­mita.

     Agostinho Velozo Fr. natural de Lx.ª filho de António Rodrigues Freire e de Izabel de Barros, recebeo o abito de Ermita de S. Agostinho, no Convento da sua Patria a 14 de Fevereiro de 1681 foi destríssimo Or­ganista e compozitor, e também foi excelente na Predica, falesseu no convento de Torres Vedras em 1696.

     Ayres António da Silva natural da Cidade de Lx.ª Cavalleiro Proffesso na Ordem de Christo, filho de D. Manoel Pereira Coutinho, e de D. Tereza da Silvia e Tavora, tocava perfeitamente os instrumentos de rabeca, rabecão de 4, de 7 cordas e viola; estudou filosofia na Congre­gação do Oratorio de S. Filipe Neri, defendeu conclusões publicas com universal aplauzo, recebeo em Coimbra o gráo de Mestre em Artes, foi examinador de Baxareis, alem de escrever nas sciencias compoz em Mu­zica Missas, Salmos, Ladainhas, e hum Te Deum com diversos instrumen­tos que se cantou em Lx.ª na Igreja de S. Roque com a assistencia das Pessoas Reays, faleceo no seculo de 700.

     Alberto José Gomes.

     Alberto da Silva Burgos.

     Aleixo Botelho.

     Alexandre de Aguiar natural da cidade do Porto, floresseo no seculo de 500 foi Muzico do cardeal D. Henrique, e de Filipe 2.º era cha­mado por Antenomazia o orfeu, compos entre outras obras as Lamenta­ções de Jeremias muito proprias á Letra, falesseu em 1605.

     Alexandre Delgado Reitor do Seminario de Vila Viçosa.

     Alvaro cujo apelido se ignora assim como se sabe ter sido Licensiado, e floreser no tempo do Senhor Rey D. Afonso 5 como diz a Bi­blioteca Luzitana no tomo 4 folhas 10 fioresseu no seculo de 400 compos o officio e a solfa para se cantar em acção de graças da tomada de Ar­zila, e Tangere em 1471 cujas praças no referido anno tomou o mensionado Monarca.

     André da Costa Fr. Religioso Trino, natural de Lx.ª filho de Fe­lipe da Cruz e Caterina Correia recebeu o abito no convento patrio a 3 de Agôsto de 1650 igualmente insigne em compor que em tocar arpa, foi da cappella dos Sereníssimos Monarcas D. Afonso 6.° e D. Pedro 2.° compos Missas de varios coros Confiitebor a 12 vozes Laudade pueri a 4 Completas a 8 vozes, e outras mais obras, falesseo em 1685.

     Andre de Escobar Muzico famoso de Sé de Evora, e depois deCoimbra, para onde o chamou o Bispo D. Manoel de Menezes alem de varias obras que compos escreveu preceitos para varios instrumentos, os quaes tocava com muita destreza e huma Arte para tanger o instrumen­to de Charamelinha.

     André Luis Lobo natural da Cidade de Evora, (e cantor da Sé da mesma cidade).

     Antão de S.to Elias Fr. Religioso Carmelitano natural da Cidade de Lx.ª filho de Francisco de Souza, e Maria Cardoza, foi Mestre na Cappela do seo Convento da mesma cidade muito perito no Contraponto, e não menos no instrumento de Arpa cujo tocou por muitos annos na cathedral de Lx.ª compos hum Te Deum a 4 coros com diversos instrumen­tos, compos mais responsorios, Missas, Salmos, Hinos, Vilancios a 4 a 8 e 2 coros com instrumentos, falesseu em 1748.

     Antonio de Almeida natural da cidade do Porto, Mestre de Muzica na Cathedral da sua Patria, não foi menos excelente na Poetica, compos em huma e outra Arte, imprimisse deste autor huma obra Poetica em Castelhano intitulada La humana Çarça abrazada el gran Martir S. Laurencio. Coimbra por Thome Carvalho Impressor da Universidade em 16564.

     Antonio Alves do habito de S. Pedro Pernambucano não só hé douto na Compuzição da Muzica, mas tambem em Filosofia, e Theologia.

     Antonio Bazilio que foi da família do Excelentíssimo Duque de Lafoens compos excelentemente os Villencicos, e nos Tonos Era im des bancavel falesseo no principio do secolo de 700.

     Antonio de Belem Fr. natoral da Cidade de Evora Monge de S. Jeronimo no Convento do Espinheiro, onde foi Prior e depois Vigario: Foi Mestre da Cappela de Belem Compos salmos a 4, 5 e 6 coros, Missas a 4, 6 e 8 vozes, Miserere a 3 coros e hum livro de responsorios para to­das as festas da primeira classe, foi hum dos mais celebres compuzitores de Muzica do seu tempo falesseu.

     Antonio Carreira insigne professor de Muzica, e Mestre da real Cappela dos Sereníssimos Monarcas D. Sebastião, e D. D. Henrique, compos varias obras, como escreve Pedro Thalezio na sua Arte de Canto Chão cap.º 36 fl. 163 (ou 63; dificilmente se percebe e não é fácil verifi­car). Comipos duas Lamentações da semana santa, e varios Motetos a 6 vozes faleceo em 1599.

     Antonio Carreira sobrinho do precedente, foi Mestre da Cathedral de Compostela, as suas obras exestião na Biblioteca do Sereníssimo Se­nhor D. João 4.°

     Antonio Claudio.

     Antonio Cordeiro Presbítero subxantre da Cathedral de Coimbra, tão douto em Muzica, e no Canto Eclesiastico que immendou a Arte de Canto chão composta por João Martins, imprimiosse esta obra em Coimbro por Nicolao Carvalho em o anno de 1612.

     Antonio Correia da Costa natoral de Vila Viçoza, foi igualmente doctissimo em Muzica, que Geometria, Mathematica e Pouzia, ansioso de fazer maiores estudos passou a Italia e Flandres donde voltou em o anno de 1617 para Vila Viçosa, dele faz menção Francisco Moraes Sardinha no Parnas. de Vila Viçoza Lívr. 2 cap. 59 e no Liv. 3.

     Antonio Diogo Presbítero secular natural da Cidade de Evora. Beneficiado em Sintra do Patriarcado de Lx.ª alem de ser bom organista compos diversas obras em Muzica.

     Antonio Fernandes Presbítero natoral da Vila de Sousel da Pro­víncia de Alentejo foi Mestre da Igreja de S. Cattherina do Monte Sínae em Lx.ª foi ornado de Louvaveis costumes doctissimo da sciencia pratica e especulativa da Muzica em a qual compos a arte de Muzica de Canto de orgão, e de Canto Chão. Compos mais a explicação dos segredos da Mu­zica : compos mais Theorica do Manicordio: mais outra Arte de Muzica de Canto de orgão e hum mapa oniversal de qualquer couza, assim na­toral como accidental, que se contem na arte da Muzica com os seus ge­neros e demonstrações Mathematicas. A sua Arte de Muzica de Canto de Orgão e Canto Chão e porpessões da Muzica dividida armonicalmente se impremiu em Lx.ª no anno de 1625. Deste Autor faz menção D. Fran­cisco Manoel na Carta dos AA. Portugueses escrita a Monel Themudo da Fonseca que hé a 1 da quarta Centuria das suas cartas, e João Soa­res de Brito in Theatr. Luzit. Lít. A. n 76 no oficina de Pedro Crasbeek 1625.

     Antonio de Figueiredo Ramos natural de Lx.ª Muzico Instrumen­tista que foi da Camara real hera muito sabio en Contraponto, e dele escreveo hum livro que estava para imprimir compos Salmos, Ladainha a 4 vozes, Sonatas a varios instrumentos, Arias e outras mais obras, falesseo no presente secolo.

     Antonio de Freitas da Silva Muzico instrumentista da Camara de Sua Magestade, e Compozitor das Reaes Danças das suas operas Com­pos sonatas com varios instrumentos, salmos e huma Missa a 4 vozes Credo, e mais obras faleseu no presente secolo.

     Antonio de Jesus Fr. natoral de Lx.ª Religioso Trino, Compozitor dos mais excelentes, e pela sua profunda sciencia foi elevado a Lente desta Arte na Universidade de Coimbra em 27 de Novembro de 1636 mereceo grandes estimações do Sirinissimo Senhor Rey D. João 4, entre muitas obras que escreveo tiverão mais merecimento as seguintes. Missa a 10 vozes, outra a 12 vozes, Dixit Domínus a 12: morreu em Coimbra em 1682.

     Antonio José Felis Professo na ordem de Christo.

     Antonio Leal.

     Antonio Lopes Cabral Presbítero natural de Lx.ª nasceo no anno de 1634, aprendeo não só as letras humanas, mas a Arte de Muzica, foi cappelão e cantor das Magestades de D. Afonso 6.º e de D. Pedro Logrou grandes aplausos no Ministerio do Pulpito, foi Academico dos singulares de Lx.ª compos varias obras em Muzica, e imprimio hum livro de Sermões —- Intitulado Pancarpia florida, e tinha pronto outro para dar á empreção Morreo a 26 de Dezembro de 1698 com 64 annos de ida­de; tambem imprimio a Vida de S. João Bauptista e de S.ta Maria Ma­dalena traduzidas do Italiano, dele fala o P.e Antonio dos Reys no Enthuziams Poet. n. 170 foi Freire da Ordem Militar de Christo sendo Be­neficiado das Igrejas de S.ta Maria dos Olivaes, da Vila de Tomar, e S.ta Maria do Castelo de Ponte de Lima.

     Antonio da Madre de Deos Fr. filho de Gregorio Catalão, e Joana Cardoza natoral de Lx.ª Religioso Carmelita da Antiga observancia, fa­moso Compozitor, exercitou o lugar de Vigario do Coro em Lx.ª faleceo em 1690 aprendeo Muzica com os dois selebres Professores desta Arte Duarte Lobo e Fr. Manuel Cardozo Religioso Carmelitano, compos Psalmos, e Motetos, e Responsorios, os officios de Defuntos, e dois Mizereres a 3 coros.

     Antonio Manoel Leite Pacheco Malheiro.

     Antonio Marques Fagote natoral de Tancos, Mestre da Cappela de El Rey D. João o 4 no instrumento do seu apelido foi insigne compos regras para ele álem de mais obras em Muzica.

     Antonio Marques Lesbio natoral de Lx.ª Academico dos Singu­lares de Lx.ª na qual Academia foi Mestre explicando os emblemas de Alciato, nos Certames Literarios que teve com os seus socios quaze sem­pre o (primeiro premio no anno de 1698 foi eleito Mestre da Cappela Real — Na Arte da Muzica compondo fez os mais raros progressos era chamado por Antenomazia, o Mestre da mais rara Armonia. Não consta que nas suas obras se encomtrasem as ideias ou immitações. era muitas vezes chamado pela Rainha D. Catherina Ingleza para desfrutar a sua erudita conversação. Foi insigne em varios instrumentos teve grande Li­ção da Sagrada Escritura, e dos PP. da Igreja Latina, e Grega, e dos Oradores Methiologicos mais insignes, tanto Latinos, quanto Italianos, e Espanhoes, tendo chegado à idade de 70 annos. em 21 de Novembro de 1709 Vespora de S.ta de Cezilia estando para concluir a composição do Gloria Patri da Magnifica a 8 vozes para se cantar na Cappela Real foi acometido da Morte, e pedindo a extrema unção por se ter confes­sado e comungado de manhã faleseo. foi muito estimado das Magestades de El-Rey D. Pedro 2.ª D. Maria Sofia Izabel Neoburg. Deste faz men­ção o P.e Antonio dos Reys in Enthusiasm. Poet. n. 142.

     Antonio Milheiro natoral da Cidade de Braga Mestre da Cathedra de Coimbra, e depois de Lx.ª aonde veio a ser conigo de 4.ª Prebenda, escreveo varias obras em Muzica, e algumas se empremirão em Coimbra por Nicolao de Carvalho no anno de 1618.

     Antonio Nunes Colares.

     Antonio de Oliveira Presbítero natoral de Lx.ª Professor insigne de Muzica, foi Mestre do Coro da Real Parroquia de S. Julião da sua Patria, passou a Roma aonde teve muitos aplausos por varias obras que compos em Muzica faleseo em Roma.

     Antonio da Penitencia F. natoral de Lx.ª Religioso da 3.ª ordem de S. Franeisco nasceo em o anno de 1605 foi insigne na Arte da Muzica em que compos diversas obras, não sumenos Cantor, exercitou o lugar de Vigario do Coro no Convento de Arrayolos Arcebispado de Evora falesseo em 1648 com quarenta e três annos de idade (29).

     Antonio Freira Mestre de Muzica pratica, e especulativa, compos muitas obras com bastante novidade e não menos sciencia, sendo estas a 4, e 8 vozes, e Magnifica a 8 vozes.

     Antonio Preira natoral da Vila de Mação comarca de Tomar do Bispado da Guarda, Padre de S. Filipe Neri cuja roupeta recebeo em Lx.ª a 24 de Setembro de ,1744 filho de Antonio Preira, e Maria de Fi­gueiredo, hoje está secularizado e he secartario de línguas, e deputado da Real Méza Sençoria.

     Antonio de Pina teve igual talento para a Muzica que para a Poezia: em ambas escreveo Vilancicos dois volumes em 8.

     Antonio Pinheiro natoral de Montemor-o-Novo Mestre da Cappela Ducal de Vila Viçosa e depois da Sé de Evora, deixou escrito hum groço volume da Magnifica a 8 vozes morreo em Evora no anno de 1677.

     Antonio de Pinho natoral de Abrantes Bispado da Guarda cantor da Sé de Evora, excelente compozitor de Muzica, em que publicou exce­lentes obras, tambem se distinguiu m.to na Poetica em que compos hum poema intitulado Vida, e Martirio do Infante, e Santo D. Fernando filho de El-Rey D. João o primeiro.

     Antonio da Purificação F. Religioso Carmelitano natoral de Evora Cidade da Província Transtagana exercitou por muitos annos em Lx.ª no seu convento o exercício de organista em que foi muito perito, tambem compos algumas obras em Muzica faleseo no Alemtejo na cidade de Beja no presente secolo.

     Antonio da Ressurreição Fr. natoral de Lx.ª Religioso da 3.ª ordem da Penitencia nasceo em 1621 foi muitos annos Vigario do Coro e Mes­tre da Capela do Convento de Lx.ª; e depois foi eleito Ministro do Con­vento da Vila de Viana em o Alentejo, Difenidor de Província, faleseo no Convento de Santarem a 17 de Janeiro de 1686 com 65 annos de ida­de; compos diversas Miças, e outras obras de Muzica.

     Antonio Ribeiro Presbítero, hum dos milhores acompanhantes de Violonxelo do seu tempo, entre as suas Composições as de maior nome são as Lições de defuntos a 8 vozes faleseo no seculo de 700.

     Antonio Rodrigues Villalva natoral de Villalva territorio da Vila de Fronteiro. Província de Alentejo; excelente no canto, e optimo Com­pozitor, foi Mestre da Cappela do Hospital Real de Lx.ª tendo sido ja da Sé de Evora, compos salmos, Missas, e Inos, e huma especial Missa a 8 vozes.

     Antonio Rodrigues Vilalva natural da Vila de seu apelido do Bis­pado de Beja, destríssimo no Canto, e optimo Compozitor: compos varias obras em Muzica, e huma Arte de canto chão onde tambem dá regras para o contraponto.

     Antonio do Rozario F. Monge de S. Jeronimo nasceo em Lx.ª teve igual talento para a Muzica que para a Predica, entre muitas obras que compos, tiverão mais estimação os motetos da Quaresma, e semana santa a 4 a 8 e a 12 vozes tambem forão excelentes as suas Lamentações fale­seo no secolo de 700.

     Antonio do Rozario Fr. Religioso Xabregano compos varias obras. entre e3as huma Missa Instrumental.

     Antonio do Sacramento Fr. natoral de Lx.ª Religioso Trino Varão doctissimo em mais sciencias, foi definidor Vizitador de Província, e pregador geral Mestre de cerimonias, e sancrístão Mor dele existem al­gumas obras de Muzica manuscritas, falesseo em 1740.

     Antonio de S. Jeronimo Justiniano nasceu em Lx.ª a 4 de Outu­bro de 1675 foi seu Pay Antonio Gonsalves, e sua May Magdalena Es­teves da Silva, recebeo o Canonico abito da Congregação do Evangelista em S. Bento de Xabregas, onde exercitou por seis anos o lugar de Mes­tre de Cappela, depois passou ao Colegio de Evora aonde estudou as Sciencias Escolasticas foi Sacristão Mor e Vice-Reitor, não foi menos docto na Muzica que na Poezia, em ambas as artes imprimio, sahindo da sua Congregação foi Capelão do Loreto de Lx.ª faleseo no seculo de 700.

     Antonio Sereníssimo Infante de Portugal fes a solfa de alguns versos do Stabat Mater cuja solfa exestía na Patriarcal de Lx.ª faleseo no seculo de 700.

     Antonio Segré Fr. natoral de Lx.ª filho de Pedro Francisco, e Luisa Segré Religioso Carmelitano da Antiga observancia, com justa ra­zão ocupou o logar de Mestre da Cappela do Convento de sua Patria, onde foi Sub Prior, reformou e acrescentou o Processionario de que uzão os Religiosos e Religiosas da Província do Carmo de Portugal, escreveo varias obras em Muzica, faleseo em 1658 dele faz menção Fr. Ma­noel de Sá nas suas memorias Historicas dos Escritores Portugueses da Ordem do Carmo, cap. 12 n 71 e 72.

     Antonio da Silva.

     Antonio da Silva Alcantra, Presbítero Douto em muitas facul­dades, e na Muzica estupendo, soube contraponto sem ter Mestre, e compos excelentemente como sertificão as suas obras, foi Mestre da Cappela da Sé de Olinda em Pernambuco, veio a Lx.ª aprender a tocar rabecão piqueno com o Padre Frei Francisco Religioso Carmelitano Calçado, retirouce do Mestrado para porto Calvo, onde vive exercendo muitas vir­tudes.

     Antonio Sobrinho natural de Vila Viçosa.

     Antonio Teixeira Presbítero natural de Lx.ª filho de Manoel Tei­xeira e Vicencia da Silva Mestre do Seminario real de Muzica, exce­lente Compozitor, e Organista da Patriarcal, onde foi cappelão Cantor, era examinador do Canto chão do Patriarcado, Compos hum Te Deum a 5 coros com todo o genero de instrumentos, compos outro a nove vozes, sete operas, salmos, Mizereres, Lamentações, e outras mais, faleseo no seculo de 700.

     Antonio da Veiga natoral de Vila Viçosa Cavaleiro da Ordem Mi­litar de Malta secretario do Gram Mestre, foi insigne em todas as Artes Liberais, excedendo na Muzica em que compos diversas obras, foi tangedor de quaze todo o genero de instrumentos faleseo no seculo de 600 dele faz menção Francisco Moraes sardinha no Parnaso de Vila Viçosa Liv. 2 cap. 59.

     Antonio Vieira Fr. natural de Lx.ª filho de Gaspar Vieira, e Ma­ria de Oliveira, Religioso Trino foi excelente Professor de Muzica, exer­citou por muitos annos, nesta Corte o lugar de Vigario no seu Convento, deixou compostas diversas obras de orgão, Missas, Salmos e Inos a 8 vo­zes faleseo em 1707.

     Antonio Vieira natural de Vila Viçosa, famoso compozitor, foi Mestre da Cappela da Igreja do Loureto, e da Misericordia de Lx.ª e depois passou a exercer o mesmo ministerio na Vila do Crato, compos varias obras, sendo a de maior nome Missa a 10 vozes, Mizerere a 8, Dixit Dominus a 8 com instrumentos. Beatus vir a 12, e hum moteto de Defuntos: Domine quando veneris.

     Atanazio natural da Vida de Setubal.