Fabulas de Esopo/A Bicha e a Lima

Wikisource, a biblioteca livre
< Fabulas de Esopo

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fabulas de Esopo por Esopo, traduzido por Manuel Mendes da Vidigueira
A Bicha e a Lima


FABULA LXVIII.


A Bicha e a Lima.

Buscando a Bicha de comer na tenda de hum ferreiro, foi topar com huma lima, e quiz roela; mas como os dentes não entravão pelo aço, dava-lhe muitas voltas, virando-a de todas as bandas. Enfadada a Lima de andar aos tombos, lhe disse: Que fazes parvoa, não sabes que sou de ferro, e lima? Por muito que trabalhes desfarás os dentes, ou com os meus de aço bem temperados cortarei dentes e qualquer arma a quem chegar, em pouco tempo.

MORALIDADE.


Dous valentes sempre fogem de brigar, e hum máo poderoso guarda-se de pelejar com outro poderoso máo. Que entre iguaes he a briga duvidosa. Com os menores cada hum quer ser lima e ser bicha. Nos grandes ninguem ousa metter dentes, porque tambem os tem para morder, e dizem que de cossario a cossario não se perde mais que a monção.