Fabulas de Esopo/Hercules e os Pigmeos

Wikisource, a biblioteca livre
< Fabulas de Esopo

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fabulas de Esopo por Esopo, traduzido por Manuel Mendes da Vidigueira
Hercules e os Pigmeos


FABULA XI.


Hercules e os Pigmeos.

Na terra dos Pigmeos, gente que não chega a dous palmos, estava Hercules dormindo á sombra de huma arvore com a sua maça a par de si, e a pelle do Leão á cabeceira. Juntárão-se muitos Pigmeos apostados a matalo, e forão pegar n’elle, de modo que acordou. E só enxotando-os com a pelle do Leão, como quem enxota mosquitos, matou grande numero d’elles, e tornou-se a deixar dormir.


MORALIDADE.


Alciato nos seus emblemas poz esta fabula. Entende por estes a gente temeraria, que não medindo suas forças, commette cousas maiores do que elles podem acabar; e nasce d’aqui que morrem parvoamente, e ficão para sempre affrontados.