Fabulas de Esopo/O Caçador e a Bicha

Wikisource, a biblioteca livre
< Fabulas de Esopo

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fabulas de Esopo por Esopo, traduzido por Manuel Mendes da Vidigueira
O Caçador e a Bicha


FABULA XII.


O Caçador e a Bicha.

Hum Caçador armava laços aos Gaviões, e com a espingarda tambem andava a matar tordos. Succedeo que trazendo o sentido nas arvores, e os olhos, pizou huma Bicha com o pé, sem o saber, a qual o mordeo no calcanhar, de que inchou logo. Estando assim acabando, disse: Morro, e com razão me castigou a Bicha, porque estando na terra quem podia matar-me, eu me occupava em querer matar os que andavão sobre as nuvens.


MORALIDADE.


Nesta Fabula do Caçador se reprehende a vaidade dos Astrologos, que querem adivinhar as cousas do Ceo, não entendendo, pela maior parte, as da terra, e gastão o tempo em querer com o entendimento caçar, e saber as mortes alheias, e nunca entendem a sua, nem sabem guardar-se della.