Fabulas de Esopo/A Cigarra e a Andorinha

Wikisource, a biblioteca livre
< Fabulas de Esopo
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fabulas de Esopo por Esopo, traduzido por Manuel Mendes da Vidigueira
A Cigarra e a Andorinha


FABULA XIII.


A Cigarra e a Andorinha.

A Andorinha criava seus filhos, e buscando-lhes de comer, tomou huma Cigarra no bico. Pedia-lhe ella que a soltasse, e allegava-lhe que erão ambas conformes, porque ambas erão musicas, e ambas cantavão somente pelo Verão. Pois só por isso, disse a Andorinha, porque tu me arremedas, te matara eu, ainda que meus filhos não tiverão necessidade.


MORALIDADE.


Prova-se nesta Fabula que o official de teu officio he teu inimigo.