Fabulas de Esopo/O Carneiro grande e Pequenos

Wikisource, a biblioteca livre
< Fabulas de Esopo
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fabulas de Esopo por Esopo, traduzido por Manuel Mendes da Vidigueira
O Carneiro grande e Pequenos


FABULA LXXVI.


O Carneiro grande e Pequenos.

Tres carneiros moços, e hum marroco andavão pastando. Sahio o velho correndo e fugindo. Os outros estavão pasmados sem saber a causa, e como não entendião seu perigo, rião-se do medo e fugida do marroco, o qual vendo-os escarnecer lhes disse: Vós sois loucos e ignorantes; não vedes que quando vêm o carniceiro sempre mata os maiores? Eu por isso fujo. Mas quando elle vier e vos matar, pesar-vos-ha de terdes escarnecido e esperado.

MORALIDADE.


Ordinaria causa he nescios e cobardes zombarem de sisudos e esforçados, e os menores dos maiores, porque como os grandes arriscão mais nos perigos, procurão com aviso guardar-se delles. Mas os nescios, como não julgão isto por aviso, senão por cobardia, nem entendem as cousas, como carneiros mamões, zombão simplesmente dos homens abalizados.