Fabulas de Esopo/O Cordeiro e o Lobo

Wikisource, a biblioteca livre
< Fabulas de Esopo
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fabulas de Esopo por Esopo, traduzido por Manuel Mendes da Vidigueira
O Cordeiro e o Lobo


FABULA LV.
O Cordeiro e o Lobo.

Andava hum cordeiro entre as cabras, e chegou o Lobo, dizendo: Não he este o teu rebanho, vem commigo, levar-te-hei a tua mãe. Respondeo o Cordeiro: Não quero, porque esta cabra me quer muito e me faz mais mimo que a seu proprio filho. Com tudo, replicou o Lobo, melhor estarás com tua mãe. Bem estou aqui, disse o Cordeiro, não quero provar ventura, que por bem que me succeda, não deixará o pastor de me tirar o vello, e ficarei morrendo de frio.

MORALIDADE.

Mostra-nos esta Fabula que a companhia dos bons amigos he mais segura que quanto parentesco tem o mundo; que o parente sem amor, nem he amigo, nem parente; e o amigo verdadero he parente e amigo. Tambem o Cordeiro nos avisa que quem está bem, não se bula por provar ventura; que esta he para quem não a tem. Quem está quieto, contente-se com a sua sorte, e guarde-se de empeiorar.