Já não posso ser contente (Cancioneiro de Paris)

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Já não posso ser contente
por Anónimo e Maria de Portugal, duquesa de Viseu
Cantiga renascentista portuguesa do Cancioneiro de Paris. O mote é tradicionalmente atribuído a Maria de Portugal, duquesa de Viseu.


Já não posso ser contente,
Tenho a esperança perdida;
Ando perdido antre a gente,
Nem moiro nem tenho vida.

Minha ventura é tal,
Senhora, por vos querer,
Que pera dobrar meu mal,
Me tiram poder vos ver.
Assi vivo descontente,
Sofrendo tão triste vida.
Que ando a fio da gente,
Perdido, triste, sem vida.