La Ravachole

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
La Ravachole
Letra por Sébastien Faure
Melodia por Sébastien Faure
Canção anarquista ilegalista da década de 90 do século XIX composta por Sébastien Faure, uma paródia da Camarole em homenagem a Ravachol que, segundo os registros do estado francês que o executou, cantou a música momentos antes de ser guilhotinado.


Partition de La Ravachole.png
Na grande cidade de Paris,

Têm burgueses bem nutridos,
Existem os miseráveis,
De estômago vazio:
Os velhos são sovinas,
Viva o som, viva o som,
Os velhos são sovinas,
Viva o som
Da explosão!


Dancemos a Ravachole
Viva o som, Viva o som,
Dancemos a Ravachole
Viva o som
Da explosão!


Ah ça ira ça ira ça ira
Todos os burgueses vão experimentar a bomba
Ah ça ira ça ira ça ira
Explodiremos toda a burguesia
Vamos explodí-los!


Têm magistrados bem vendidos,
Têm magistrados bem vendidos,
Têm banqueiros bem inchados,
Têm banqueiros bem inchados,
E há os policiais,
Mas para todos esses patifes,
Existe a dinamite,
Viva o som, Viva o som,
Existe a dinamite,
Viva o som
Da explosão!


Dancemos a Ravachole
Viva o som, Viva o som,
Dancemos a Ravachole
Viva o som
Da explosão!


Têm os senadores senis,
Têm os deputados podres,
E há os generais,
Assassinos e executores,
Carniceiros de uniforme,
Viva o som, Viva o som,
Carniceiros de uniforme,
Viva o som
Da explosão!


Dancemos a Ravachole
Viva o som, Viva o som,
Dancemos a Ravachole
Viva o som
Da explosão!


Ah, maldição, chegou o dia de acabar,
Ah, maldição, chegou o dia de acabar,
Já cansamos de sofrer,
Já cansamos de sofrer,
Não a meias guerras,
Não a buracos de covardia,
Morte a burguesia!
Viva o som, Viva o som,
Morte a burguesia!
Viva o som
Da explosão!

Predefinição:CC-BY-SA