Livro da ensinança de bem cavalgar toda sella/Capitulo VII-XIII

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Livro da ensinança de bem cavalgar toda sella - Parte VII. Capitullo XIII. do ẽssynamẽo do remessar.
por Duarte de Portugal


Capitullo XIII.
do ẽssynamẽo do remessar.

Quatro cousas sõ necessarias aquem bẽ ouuer derremessar. Pimeira que lãce lõge. Segunda, certo, terceira seguro, guardando sy e seu cauallo de caiom. Quarta fremoso E quanto aaprimeira quem deseiar deobẽ fazer, cõuem que huse primeiramẽte de pee, e lãçar lãças razoadas pera de cauallo, por tal que acerte dessy naturalmẽte abraçaria, q̃ nõ spere alcançar bem de cauallo oq̃ de pee primeyramente nõ filhar ogeito Eos q̃ assy lãçam de pee, alguũs trazem alãça baixa ao correr, e outros alta, e dally alançã. E aqueste me parece melhor geito pera remessar de cauallo Porẽ eu nõ opude tal filhar, mais trago alto e em querendo remessar abaixo obraço e corpo, e surdo com ella sem deteèn]eça E cada huũ destes dous me parece assas deboo Mas logo no comeco da curruda leuar obraço tendido, ou depois que abaixa tardar assy com elle nõ me parece bẽ.

Pera fazer grande lãça de cauallo, deue primaramẽte começar asse ẽssynar com aste alguã de lãça q̃ seia rõba damballas partes por sua segurãça Eleuando ocauallo agalope, trabalhesse de soltar obraço, como se de pee lançasse, e façaa sayr alta e feita, e apertada da maão bẽ auyada pera lõge, por q̃ ayda do cauallo, quando alãça desta guisa saae afaz chegar muyto mais do q̃ homẽ penssa, e deuesse husar assy degalope por huũ tẽpo, por tal q̃ estes auysamẽtos todos se possam mylhor filhar, specialmẽte ossacudir do braço, por q̃ poucos ofazem assy bem E ãtre todallas cousas saibha conhecer ocõtrapeso da lãça deãteira que lhe deue dar peraa fazer hyr feita E ẽcorrẽdo aleue assy apertada, q̃ quando alãçar a ponta uaa toda dereita aly hu teuer teençom E des que esto per alguũs dias agalope, e oom tal aste seuber fazer, custumesse
aqual quer outra braçaria de cauallo, teendo toda uya mais custume delançar lãça q̃ nebuã outra cousa Eguardesse de pee husar barra, ou algua cousa pesada, nem muy leue, per q̃ possa seu braço derrencar, por q̃ lãçando lãça acauallo seo braço nõ he doẽte, nũca por ello dooe. Eo proueito destas duas braçarias pera nehuũ que acauallo he boo lãçador he muyto pequeno, eo desprazer que sente no perdymẽto del he assaz grande, segundo per mym senty aesperiẽcia. Esse alguẽ grande lãço quiser fazer, aia cauallo de sella gineta com strebeiras curtas segundo seu custume; q̃ corra bem, e tenha aboca huũ pouco testa leuando alança razoada segundo seu geito, e obraço bem solto, e despeiado, e corra per carreira chãa e costas auento, chegando ẽ alguũ começo de cidade, sacuda alãça do braço nom atentando nada no freo senõ depois q̃ lãçar, guardando os outros auysamẽtos q̃ no começo disse. E desta guisa deue lançar mais q̃ de pee acerca do terço E assy oprouey que ia fiz lanço q̃ passaua de xvi. lanças, q̃ decendome, e corria de pee, e daquelle lugar desuestido em gibã com aquella medes lãça pouco mais pude chegar q̃ a onze E aqueste exẽpro ponho aquy por cada huũ conhecer se acerta bem esta manha, ueendo aauãtagem q̃ faz sobre seu lanço de cauallo, quando alança de pee E esso meesmo tomar̃ auysamento quando quiserẽ lançar desseguardarem quanto bem poderem de todollos contrairos das auãtageẽs suso scriptas q̃ se deuẽ filhar pera se fazer grandes lãços E por que o anteparar do cauallo ao tẽpo do lançar faz grande estorua pera odesto muyto guardar, quando sayr per acarreira, ãte q̃ lance nouo lhe de muyto das sporas, mes leixeo correr oque el de seu quiser, e huũ pouco ante q̃ lãce de nouo lhe de ryjo cõ as sporas, e como no yr se auyuar, logo lãce omais sem deteẽça q̃ poder. E pera remessa certo deuesse conssijrar seo lanço he de preto ou de lõge, se de lõge ajudarsse dessua braçaria e tirarlho
adiãte quanto por osmo entender q̃ oueado podera andar ante q̃ alãça chegue, e aqueste lanço tal acertasse deuentuira Esse de preto for nõ se deue remessar de dereito por que be perijgoso, e nõ tam certo, mss leixalla acada huã das maãos como teuer geito e aazo se der. Eafemẽçalla uista aa espadoa do ueado, e ally lhe tirar remessãdo de cima e folgado como se jugasse o dardo, nõ fazendo tãto conta de querer dar grande lançada como do acertar, por q̃ se alança uay feita damaão, ayda do cauallo lhe faz as mais das uezes dar assaz grande feryda. Esse de quedo arremessar corno muytas uezes acontece aos mõteiros e for razoadamẽte chegado aaquella maneira deue teer de arremessar de cima e folgado comosse jugasse dardo, o qual jogo achey muyto boo pera se homẽ auezar arremessar certo de pee e de cauallo Epera remessar seguro duas cousas sollamẽte se hã deguardar Prymeiramẽte que nũca lãce adereito dessy. Segunda q̃ custume tãto q̃ alãça sayr damaão uoltar ocauallo aaparte contraira donde alãçar Eperao fazer fremoso se ham de reguardar tres cousas Primeira que ala cauallo, sella, lio, e lança perteecente Segunda que elle dos pees e das pernas, e do corpo todo uaa bẽ quedo aguysa de caualgador Edo braço principalmẽte faça sua braçaria e se nom desassessegue da sella quando lançar Terceira q̃ guardando os auysamẽtos suso scriptos, delãça bẽ feita faça grande lãço As lãças pesadas querem soltar aespadoa e obraço todo, e as leues canas obraço por omeo principalmẽte Eposto q̃ arremessando muytos hussos, porcos, ceruos de cauallo feri e outros por uezes erraua por desuairo dabesta, sella, uẽto, terra por q̃ corria, secura, ou frihura damaão, ẽpacho do braço, pesume e máo geito da lãça, trigança da uoontade, porẽ nom aiam por estranho quando errarẽ pois podẽ por tãtas partes, e outros acõtecimentos seer estoruados. E desta manha posto que pouco se aproueitẽ os q̃ trazem os braços armados nõ empeece

de se husar e saber por que alguã ora pode aproueitar, e ia muytas uezes prestou, e faz boa soltura em mõte e jogo das canas, e outras cousas q̃ acauallo e apee custumam de fazer os boos homeens.