Mishná/Seder Zeraim/Tratado Berakhot/II/3

Wikisource, a biblioteca livre
< Mishná‎ | Seder Zeraim‎ | Tratado Berakhot
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mishná por Vários
Tratado Berakhot


Introdução[editar]

Após a discussão anterior, onde as quebras de seção entre as diferentes partes do Shemá acontecem, a Mishná discute o modo como deve-se dizer o Shemá.

Texto em hebraico[editar]

הקורא את שמע ולא השמיע לאזנו – יצא.
רבי יוסי אומר: לא יצא.
קרא ולא דקדק באותיותיה –
רבי יוסי אומר: יצא;
רבי יהודה אומר: לא יצא.
הקורא למפרע – לא יצא.
קרא וטעה – יחזור למקום שטעה.

Texto em português[editar]

Aquele que recita o Shemá, mas não o torna audível ao ouvido - cumpre [a obrigação] [1]:
Rabbi Yosei diz: Não cumpre. [2]
Aquele que recita, mas não articula cada letra:
Rabbi Yosei diz: Cumpre.
Rabbi Yehuda diz: Não cumpre.
Aquele que recita fora de ordem - não cumpre.
Aquele que recita e se equivoca - deve voltar ao ponto onde cometeu o erro.

Comentários[editar]

  1. A Gemara discute este assunto longamente em Berakhot 15a-15b, devido ao conflito entre Rabi Yehudah e Rabi Yosei. A defesa de Rabi Yehuda é baseada em Terumot 1:2, que afirma que é válido que uma pessoa surda recite a benção de Terumot, mesmo que apenas após o fato. Além disso, Rabi Yehudah interpreta o "שמע" ("ouvir") no sentido de "compreender" (ou seja, em qualquer idioma que a pessoa compreenda) ao invés de ouvir as palavras literalmente.
  2. A Gemara cita Meguilá 19b como apoio do ponto de vista do Rabi Yosei, que afirma que uma pessoa surda não está qualificada para ler a Meguilá. Enquanto o Rabi Yehuda diz que "שמע" significa "compreender", Rabi Yosei diz que isso significa, literalmente, ouvir. De qualquer modo, a lei segue o entendimento do rabino Yehuda: uma pessoa que recita o Shemá silenciosamente está cumprindo sua obrigação.