Muitos vej'eu que se fazen de mí

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Muitos vej'eu que se fazen de mí
por Joán Perez de Avoim


Muitos vej'eu que se fazen de mí
sabedores que o non son, de pran,
nen o foron nunca, nen o serán;
e pois que eu deles estou assí,
     non saben tanto que possan saber
     qual ést'a dona que me faz morrer.

Ca sempre m'eu de tal guisa guardei
que non soubessen meu mal nen meu ben,
e fazen-s'ora sabedores én;
mais, pero cuidan saber quant'eu sei,
     non saben tanto que possan saber
     qual ést'a dona que me faz morrer.

Diga-x'andando quis o que quiser,
ca me sei eu como deles estou;
ben grad'a Deus, que m'end'assí guardou
que, se s'aquesto per mí non souber,
     non saben tanto que possan saber
     qual ést'a dona que me faz morrer.

E muito saben, se nunca saber
o per mí poden, nen per lh'eu dizer.