Nulh'home nom pode saber

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Nulh'home nom pode saber
por Fernán Padrón


Nulh'home nom pode saber
mia fazenda, per nẽum sem,
ca nom ous'eu per rem dizer
a que m'em grave coita tem.
E nom me sei conselho dar,
ca a mia coita nom há par,
que me faz seu amor sofrer.
  
Com tal senhor fui emprender,
a que nom ouso dizer rem
de quanto mal me faz haver,
que me sempre por ela vem.
E mal per foi de mim pensar
Amor, que me seu fez tornar,
ca por ela cuid'a morrer.
  
E nunca meus olhos verám
com que folg'o meu coraçom;
mentr'esteverem, com'estam,
alongados dela e nom
forem u a vejam, bem sei
que nunca lhes rem mostrarei
que lhes possa prazer, de pram.
  
E bem sei ca nom dormirám,
mentr'assi for, nem é razom,
nem eu nom perderei afã,
mal-pecado!, nulha sazom.
Mais se eu nom morrer, irei
 ced'u lhe mia coita direi!
E por ela me matarám.