O Casamento do Diabo

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
O Casamento do Diabo
por Machado de Assis
Publicado anonimamente na revista Semana Ilustrada em 29 de março de 1863.

(Imitação do alemão)

Satã teve um dia a idéia
De casar. Que original!
Queria mulher não feia,
Virgem corpo, alma leal.
 
           Toma um conselho de amigo,
           Não te cases, Belzebu;
           Que a mulher, com ser humana
           É mais fina do que tu.
 
Resolvido no projeto,
Para vê-lo realizar,
Quis procurar objeto
Próprio do seu paladar.
 
           Toma um conselho de amigo,
           Não te cases, Belzebu;
           Que a mulher, com ser humana
           É mais fina do que tu.
 
Cortou unhas, cortou rabo,
Cortou as pontas, e após
Saiu o nosso diabo
Como o herói dos heróis.
 
           Toma um conselho de amigo,
           Não te cases, Belzebu;
           Que a mulher, com ser humana
           É mais fina do que tu.
 
Casar era a sua dita;
Correu por terra e por mar,
Encontrou mulher bonita
E tratou de a requestar.
 
           Toma um conselho de amigo,
           Não te cases, Belzebu;
           Que a mulher, com ser humana
           É mais fina do que tu.
 
Ele quis, ela queria,
Puseram mão sobre mão,
E na melhor harmonia
Verificou-se a união.
 
           Toma um conselho de amigo,
           Não te cases, Belzebu;
           Que a mulher, com ser humana
           É mais fina do que tu.
 
Passou-se um ano, e ao diabo,
Não lhe cresceram por fim,
Nem as unhas, nem o rabo...
Mas as pontas, essas sim.
 
           Toma um conselho de amigo,
           Não te cases, Belzebu;
           Que a mulher, com ser humana
           É mais fina do que tu.