Ozymandias (Smith)

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ozymandias
por Horace Smith
Este texto foi traduzido para a Língua Portuguesa através dos projetos de traduções colaborativas. Ele, todo o trabalho editorial e de diagramação envolvido, encontram-se licenciados sob os termos da GNU Free Documentation License e CC-BY-SA 3.0. É possível ver seu(s) tradutor(es) e colaborador(es) ao clicar na aba Histórico, acima do conteúdo.

A RESPEITO DE UMA ESTUPENDA PERNA DE GRANITO, DESCOBERTA EM PÉ POR SI MESMA NOS DESERTOS DO EGITO, COM A INSCRIÇÃO INSERIDA ABAIXO

 


 

No silêncio da areia do Egito, totalmente sozinha
Está uma Perna gigantesca, que mostra de longe
A única sombra que o deserto conhece —
"Eu sou grande Ozymandias," diz a pedra,
"O rei dos reis. E esta poderosa cidade mostra
"As maravilhas da minha mão." - Mas a cidade se foi, -
E nada além da perna resta para divulgar
O lugar daquela esquecida Babilônia.

Assim como nos perguntamos - algum caçador poderá expressar
A mesma dúvida que nós, quando ao cruzar a imensidão selvagem,
Onde Londres se ergueu, mantendo o lobo em perseguição,
Encontrar algum fragmento enorme e parar para adivinhar
Qual foi a poderosa, mas não registrada raça
Que uma vez habitou naquele lugar aniquilado.