Página:A Guerra de Canudos.djvu/149

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
129
A Guerra de Canudos

a columna e a Cidadella, explorando e varrendo montes e valles, ia a 4ª, precedida do guapo esquadrão de lanceiros. Essa brigada era guiada pelo alferes Leite d'0liveira, prestando mais este valioso serviço.

Logo ao se mover a força, os fanaticos, que a tempo presentiram o movimento, persuadiram-se de que fosse elle resultado de temor, ou indecizão de nossa parte, e, sahindo das grótas e cerros, onde se emboscavam, romperam nutrido fogo, vizando especialmente a retaguarda e o comboio, bem com os feridos; entre estes, as balas causaram estragos, victimando alguns.

O coronel Pantoja, com reconhecida calma e habilidade, tomou as disposições que o caso impunha, conseguindo fazer manter a distancia o inimigo, que ainda assim não desistia do seu intento, pois, durante todo o trajecto hostilizou a retaguarda e flanco esquerdo da columna.

Durante a marcha, não foram poucos os tropeços que offerecia o terreno; não ha estrada n'aquella direcção e foi necessario arrombar cercas, atravessar as barrancas do rio, altas e ingremes, rompendo-se entre espinhos emmaranhados e cortantes.

Os muares da artilharia, enfraquecidos e mal alimentados no fim da marcha, a custo puchavam os canhões; estes, paravam á cada instante, para ter algum descanço os pobres