Página:A Guerra de Canudos.djvu/201

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
169
A Guerra de Canudos

E a fome, implacavel e negra, á todos abatendo e definhando dezesperados, os vermes e as varegeiras, n'um crocitar nojento, nas feridas de quem teve a suprema desdita de ser baleado!



Nas agrestes cercanias de Bello-Monte, nos cerrotes pedregosos, que se succedem em intermináveis ondulações, formando profundos valles, caprichozamente subdivididos, produzindo os leitos de outros tantos affluentes e confluentes temporários do Vasa-Barris, na época das cheias; além, nas serras escarpadas e mal vestidas de vegetação rasteira, destacando o perfil azulado, ao longe, para os lados de Cocoróbó, seguindo em semi-circulo para as bandas do Aracaty, Calumby, Cambaio, Caypan e finalmente Canna-Brava; em toda aquella cinta de montes cascalhudos, superabundava precioza creação, que veio constituir a salvação do exercito: milhares de cabras e bódes, ali vagavam, grande parte em estado selvatico.

O gado vacum também era abundante nas vertentes mais frescas, ou pascia errante na vastissima catinga. Grande parte d'esse gado fôra arrebanhado nas fazendas proximas, pelos jagunços e concentrado nu zona de sua {{hífen|influ|influencia}