Página:A Guerra de Canudos.djvu/246

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
210
A Guerra de Canudos

animação da parte do inimigo, pelos fachos em grande numero em continua agitação. Deviam estar procurando os mortos e feridos. Do nosso lado essa triste faina continuou até o amanhecer.

Em Favella reinava calma. Uma força que durante o assalto fora mobilizada sob o commando do tenente-coronel Siqueira Menezes, simulando um ataque pela estrada do Rosario, com o fim de distrahir parte do pessoal inimigo para aquella direcção, voltára ás primitivas pozições horas depois, tendo conseguido, em parte, seu objectivo.

Mas nâo se realizou a esperada vindicta por meio do ataque dos fanaticos; a nevôa, que durante a noite nos importunava, desfez-se á approximação do dia. Este rompeu, colhendo as forças prevenidas, si bem que abatidas pela fadiga, os membros lassos do continuo pelejar. O nosso fero inimigo tambem não descançou.

Na manhã de 19, em muitos dos pontos occupados por nossas forças, viam-se dezenas de bandeirolas encarnadas, suspensas de altos postes e feitas de cobertores dos soldados, com o fim deassignalar-lhes a presença em posições difficilmente visiveis n'aquelle intrincado labyrintho de ruas, beccos e grande quantidade de casas occupadas pelos nossos camaradas.