Página:A Guerra de Canudos.djvu/46

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
38
A Guerra de Canudos

João Abbade, individuo de má nota e peiores costumes, libidinoso e perverso, era o general das cohortes fanáticas ; Pageú, antigo desertor, temerario e ardiloso; Joaquim Macambira e outros, eram seus mais ousados capitães que preparavam contingentes, notadamente um, forte de seiscentos homens escolhidos entre os mais valentes jagunços, para guarda exclusiva do Conselheiro, Santuario e igrejas. A essa força denominavam Guarda-Catholica.

Villa-Nova, experto especulador, concitava o Bom-Jesus a resistir e seguramente nem um só jagunço pensava fugir. Todos acceitavam a sorte que lhes era destinada, com calma e valor.

Assim, fundado estava Bello-Monte ou Canudos, com enraizados e solidos elementos de vida e preparado para novas luctas.

Ao passo que o Governo da União cuidava da organisação da 4ª e ultima expedição, António Conselheiro disso inteirado e tudo prevenindo, fortificava o seu Imperio, e animando e organizando o seu exercito, preparava-se para a ultima e definitiva resistencia.