Página:A Guerra de Canudos.djvu/460

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
392
A Guerra de Canudos

depauperou, em concomittancia com os golpes moraes que frequentemente o abalavam.

Comtudo, é o mais rasoavel suppor ter elle perecido no ataque de 25 de Setembro, victimado por algum projectil sem direcção, ou algum estilhaço de granada, das muitas naquelle dia atiradas sobre o santuario.

No mesmo combate, varios soldados, leva dos pelo arrojo, andaram proximo d'ali, tendo, talvez, algum delles, inconscientemente, victimiado o agitador. Dois factos vêm em abono dessa nossa presumpção: o dos medicos, apóz o ligeiro exame procedido no cadaver, terem declarado que a morte não devia exceder de 10 ou 12 dias e o de terem sido encontrados junto ao santuario, cadáveres de soldados, dos mortos no referido dia 25, no combate.

O craneo do Conselheiro foi cerceado do tronco sob as vistas do dr. Curio, que o transportou para a Capital do Estado com o objectivo de ser estudado. O corpo, assim incompleto, en volto na mesma esteira, foi novamente collocado na mesma cóva, outra vez coberto de terra.

O longo e complicado rosario, do qual pendiam crucifixos e pequenas medalhas, foi retirado do corpo e alguem o guardou, rememorando o lugubre quadro. Depois, dissolveu-se