Página:A Guerra de Canudos.djvu/71

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
A Guerra de Canudos
57

Depois de permanecer 14 dias em Patrimonio, onde fazia exercicios constantes, á 30 de Abril a brigada iniciou a marcha em direcção a Simão Dias, próximo á fronteira com a Bahia. A artilharia, attendendo a conveniencia de se lhe unificar a tracção, marcharia unida até Geremoabo.

Na epocha de que nos occupamos, as chuvas eram geraes e os caminhos em certos trechos transformavam-se em atoleiros e tremedaes, perigosos para a artilharia, que, entretanto ainda estava na Bahia, d'onde seguio a 7, chegando á Itaporanga em 8 de Maio.

A 4ª brigada realizou sua marcha com toda regularidade e sem novidades de alta monta, vencendo o longo percurso de 22 leguas, passando por Itaporanga, nesse ponto atravessando o Vasa-Barris; Lagarto, chegando em Simão Dias a 4 de Maio, depois de rapida marcha, attendendose ao geral máo estado dos caminhos, lamacentos, ou pedregosos em largos trechos e geralmente accidentado, tendo galgado a escarpada serra dos Palmares, de cujos cimos se goza admiravel perspectiva, desvendando-se o territorio em dezenas de léguas.

No seu trajecto, foi a brigada encontrando recursos de alimentação e de mobilidade; a zona percorrida era regularmente povoada e cultivada, o território fértil e aproveitado no