Página:A Patria Brazileira.djvu/211

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
— 195 —


dessas ilhas perdidas de que se fala nos velhos romances de mar, sobre a qual paira como uma maldição a lembrança de sanguinárias façanhas de piratas, de modo que o thesouro está protegido por espíritos malignos. Demais, o rugido formidável do mar, que alli se encapella sem uma causa, natural apparente, ainda mesmo depois de muitos dias de calmaria, os rochedos sempre vacillantes e todas as forças e terrores da natureza são próprias a guardar o inviolável thesouro occulto lóra do alcance humano, ao passo que os repugnantes caranguejos podem bem ser os espiritosj. inquietos dos próprios piratas, porque na verdade elles são horríveis e ferozes e geralmente de uma apparencia diabólica.»

E sobre este interessante assumpto não existe somente o o livro de Kniglit: muitos outros estudos estão publicados (*), entre os quaes o de Tito Martel, pseudónimo de um erudito escriptor portuguez, que assim enceta sua substanciosa narrativa (**), baseada não só em pacientes leituras, mas também «em cartas particulares e esclarecimentos verbaes fornecidos pelos primitivos conhecedores do segredo do pirata»:

«Não é um romance imaginário o que vae ler-se, porém historia, — historia documentada que eu não contei mais cedo por suppôr que ella era, em parte, pelo menos, conhecida no Brazil, mas que, porque me não chegam á Europa noticias de sua publicação no Rio de Janeiro, eu julgo opportuno narrar agora com os detalhes authenticos que conheço. A ilha da Trindade tão esquecida ainda ha pouco, tão cobiçada, tão discutida agora, é, — entre as ilhas românticas do mundo — e foi sempre próprio das ilhas a evocação de romances, talvez neste momento, e por motivos extranhos á politica, aos telegraphos submarinos e ás avidezes nacionaes. a mais romântica das ilhas atlânticas. Ella é, ao que parece authenticamente, o que tem sido, jara quatro ou cinco gerações de leitores.

′,*j — Victor de Haaiel — The seareli for hidden treasure — Story oí lhe Expedition. «Tyneside Echo» i20 de Julho 1885 — NeYcastle.

— E. F. Knight — Tlie cruiser of the «Falcon». A vovage to South America — 4a ed. 1887 — Londres.

— A Real Trcasury Hunl — Daily Grapliic — Junho, 1889 — Londies — (**) — Gazeta de jSuticias do Rio de Janeiro, de 30 e 31 de Maiço de 1890.