Página:A escravidão dos negros.pdf/42

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
38
A ESCRAVIDÃO

sociedade civilisada e uma quadrilha de ladrões. Si dez mil, cem mil homens teem o direito de escravisar um outro e subjeital-o ao captiveiro, porque assim o exige o intere-se d'elles. ¿porque razão um homem forte como Hercules não teria o direito de subjeitar um outro fraco á sua vontade?

     Estes, são os principios de justiça que devem presidir ao exame dos meios empregados para destruir a escravidão.

     Não é inutil, porém, depois de ter estudado a questão em seus principios de justiça, estudal-a debaixo de outro ponto de vista, demonstrando que a escravidão dos negros é — tão contraria ao interesse do commercio como á justtiça.

     E' essencial arrebatar á este crime o proprio apoio d'esses politicos de orçamentos, surdos á voz da justiça, e que se consideram estadistas e profundos politicos porque encaram a injustiça á sangue-frio e a toleram, authorisam ou commettem sem remorsos.