Página:A escravidão dos negros.pdf/48

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
44
A ESCRAVIDÃO

isso, e só alguns particulares perderiam, porém tão sómente a vantagem de poder commetter impunemente um crime util a seus propios interesses.

     Tem-se pretendido desculpar o trafico, affirmando que a importação dos negros é necessaria para a cultura. — E' ainda um erro. As mulheres negras são muito fecundas; as fazendas bem administradas prosperam, mesmo com escravatura, sem importação nova.São a incontinencia, a cobiça e a crueldade dos senhores que despovoam as fazendas. Quando as negras são prostituidas para roubarse-lhes depois o que ellas teem ganho; — quando são obrigadas, por meio de castigos barbaros, a se entregarem, óra á seus propios senhores, óra aos criados d'elles; — quando, diante d'ellas, são lacerados os negros suppostos preferidos aos seus tyrannos; quando a cobiça sobrecarrega os negros de trabalho e de castigos, recusando-lhes o necessario; — quando elles veem seus companheiros, óra suppliciados, óra queimados vivos nos fórnos, para occultarem-se os traços de taes assassinatos; — então, elles fogem, envenenam-se, as mulheres provocam os abortos, e a fazenda não póde sustentar-se senão indo buscar á Africa novas victimas.

     E' tão inverdade que a população negra não possa prosperar por si mesma sem novos contingentes, que veem-se os quilombos dos negros calhambolas desinvolverem-se no meio das florestas, por entre rochedos, apezar da caçada que seus senhores se divertem a fazer-lhes como si fôra á caça braba, gabando-se quando assassinam