Página:A maçonaria e os jesuitas.djvu/25

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


— 19 —


a maioria de seus contemporaneos, estará mais ou menos imbuido nos principios italianos e humanitarios que vamos principiar a pôr em giro. É um grãosinho de mostarda que confiamos á terra; mas o sol das justiças fal-o-ha germinar até á sua mais elevada potencia, e vereis um dia que rica seára ha de produzir este pequeno grão!

« No caminho que abrimos aos nossos irmãos, ha grandes obstaculos que vencer, difficuldades de mais de uma especie que superar; pela experiencia e pela perspicacia é que se ha de triumphar; mas o fim é tão justo que para atlingil-o importa soltar todas as vélas. Quereis revolucionar a Italia? Procurai o Papa, cujo retrato acabamos de esboçar. Quereis estabelecer o reinado dos eleitos no throno da prostituta de Babylonia? Ande o clero debaixo das nossas bandeiras, pensando que marcha sempre sob o estandarte apostolico. Quereis fazer desapparecer o ultimo vestigio dos tyrannos e oppressores? Lançar as vossas redes como Simão Bar-Jona? Lançai-as no fundo das sacristias, dos seminarios e conventos, antes do que no fundo dos mares; e se nada precipitardes, nós vos promettemos pesca mais miraculosa do que a delle. O pescador de peixes torna-se pescador de homens; chamareis amigos em torno da cadeira apostolica. Tereis péscado uma revolução com tiara e capa de asperges, marchando com a cruz e com a bandeira, revolução que só precisará de ser um pouco aguilhoada para incendiar os quatro cantos do mundo.

« Deve cada um dos actos da nossa vida tender á descoberta desta pedra philosophal. Os alchimistas da idade média perderam o seu tempo e ouro em procura deste