Página:Archivo nobiliarchico brasileiro.djvu/138

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Coronet of Count - Portugal.svg

C

OTEGIPE. (Barão com grandeza de) João Maurício Wanderley.

Nasceu na villa da Barra do Rio S. Francisco, na Bahia, em 23 de Outubro de 1815.

Falleceu na cidade do Rio de Janeiro em 13 de Fevereiro de 1889.

Filho do Capitão-Mór João Mauricio Wanderley e de sua mulher D. Francisca Antonia Wanderley.

Casou com D. Antonia da Rocha Pitta e Argollo, filha dos Condes do Passé.

Bacharel em Direito pela Faculdade de Olinda em 1837, foi Juiz de Direito de Comarca de Santo Amaro, Chefe de Policia e depois Presidente da Bahia, em 1852. Deputado Provincial, representou tambem sua Provincia natal na 5ª, 6ª, 7ª, 8ª, 9ª legislaturas, desde 1843 até 1856, sendo nomeado Senador em 1856. Presidiu o Senado na sessão de 1882-1885.

Foi 8 vezes Ministro de Estado, occupando as pastas do Imperio, Estrangeiros, Marinha, Fazenda, nos seguintes Gabinetes: 12º de 1853, 23º de 1868, 26º de 1875 e 34º de 20 de Agosto de 1885, do qual foi Presidente do Conselho. Como Ministro Plenipotenciario e Enviado Extraordinario esteve em Missão Especial na Republica do Prata para firmar o tratado de paz nos termos do tratado da Triplice Alliança. Foi Provedor da Santa Casa de Misericordia, cargo que o illustre servidor da Patria desempenhou desde 5 de Agosto de 1883 até seu fallecimento, e, por iniciativa de S. Magestade o Imperador, deve-se a seus esforços a fundação, no Rio de Janeiro, do Instituto Pasteur, inaugurado em 25 de Fevereiro de 1888, destinado ao tratamento prophilatico da raiva.

Foi Presidente eleito pelos accionistas de Banco do Brasil, socio do Instituto Historico e Geographico[1] Brasileiro desde 1845, etc.

Era Grande do Imperio, do Conselho de S. Magestade, Dignitario da I. Ordem de Cruzeiro, Commendador da I. Ordem da Rosa, Grã-Cruz da de Villa Viçosa de Portugal, da R. Ordem de Carlos III e de Isabel a Catholica da Hespanha, de Leopoldo da Belgica, da Corôa da Italia, e da Aguia Vermelha da Prussia.

CREAÇÃO DO TITULO: Barão com grandeza por decreto de 14 de Março de 1860.

  1. "Geographica" no texto original; erro tipográfico.