Página:As organizações no ciberespaço.djvu/95

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


86 No geral todas as justificativas se encaixam nas motivações elencadas por Kollock (1999): reciprocidade, prestígio, incentivo social e incentivo moral. Independente da motivação dos respondentes é possível observar que todos recebem alguma compensação por isso. O trabalho é trocado, apesar de não se tratar de troca monetária este fato também deve ser analisado em conjunto da teoria da produção por pares, uma vez que há trocas e, portanto, mercado. Pergunta 9 - No caso de receber compensação financeira pelo trabalho na Wikipédia, continuaria se dedicando a ela com a mesma intensidade, aumentaria o ritmo, cessaria de contribuir? Por quê? Respondente Resposta 1 cessaria de contribuir, porque não é o retorno financeiro que procuro num projeto como esse. é a gratificação de poder ajudar a disseminar o conhecimento para o mundo, de forma livre, aberta e gratuita. 2 eu não cogito receber algo por isso 3 Acho que pararia. A essencia da colaboração na internet está no fato de que ninguem perde nem ganha (materialmente), é livre, é de todos e é para todos. 4 não recebo e não receberia. encaro essa como uma atividade filantrópica. 5 Em teoria ... aumentaria o ritmo, claro! Era óptimo poder ter um trabalho interessante como esse - desistiria já do meu emprego chato! Mas não me parece que isso venha alguma vez a acontecer, afinal, se houvesse "salário" por editar a Pédia, todo o conceito de enciclopédia livre, que qualquer um pode editar, desapareceria!!! ...Como ela seria disponível a todos, se tivesse tantos encargos financeiros? Isso, na prática, seria o fim da Wikipédia, 6 Aumentaria o ritmo, com certeza... o princípio do projeto é a ajuda voluntária, então se eu estivesse sendo remunerado para alguma conjtribuição específica, teria de me dedicar muito à ela 7 não sei. a principio eu diria que poderia aumentar o ritmo e me dedicar eventualmente até de forma integral ao projeto. Mas seria necessário ponderar mais atentamente sobre as implicação disso: quem vai pagar, por quê? o que vai querer em troca? não sei se isso funcionaria. talvez recusasse. 8 Nunca cogitei sériamente nessa questão. Porque apesar de já existirem projectos nesse sentido, não remunerados como a Citizenopédia (base em citações acadêmicas como o sistema Scielo), ou remunerados como o do Google, ainda não estão suficiente maduros para uma avaliação. 9 Mesmo que fosse um trabalho remunerado poderia contribuir no máximo por seis horas intercaladas compatíveis com meus horários livres. 10 Contribuiria da mesma maneira como já faço. 11 Não almejo remuneração pelo que faço. É só um passatempo.