Saltar para o conteúdo

Página:Batalha de Oliveiros com Ferrabraz.pdf/3

Wikisource, a biblioteca livre

Tinha o duque de Nemé
Que era uma espada medonha,
O grande Guy de Borgonla
Geraldo de Monde Fé.
Carlos Magno tinha fé
Em todos seus cavalleiros,
Pois entre todos guerreiros
De que nos trata a historia,
Vê-se sempre a maior gloria
De Roldão e Oliveiros.

O almirante Balão
Tinha um filho — o Ferrabraz.
Que entre os turcos, era o mais
Que tinha disposição
Mesmo em nobreza de acção
Era o maior que havia
Então em toda Turquia
Oude se ouvia fallar,
Tudo tinha de respeitar
Ferrabraz de Alexandria,

Foi Ferrabraz procurar
Sahiu com uma grande tropa
Vê se achava na Europa
Um rei para pelejar,
Pegou logo exclamar
Com mais precipitação,
Fazendo uma exclamação,
Insultando os cavalleiros,
Fallando contra Oliveiros
Fazendo accinte a Roldão.

Quando Ferrabraz chegou
Nos campos de Mormionda,
Só um trovão quando estronda
Trôa como elle troou,
Em altas vozes gritou
Apoiado em uma lança,
Como uma féra que avança
Precipitada em furor
Dizia oh! imperador
Que dê teus pares de França?

Estás poupando teus guerreiros
Que nem um vem pelejar?
Para que queres guardar
Esses doze, cavalleiros?
Ouço dizer que Oliveiros
Tem tanta disposição,
É propria a occasião,
Se não tens fé em teus guerreiros
Porque não manda Oliveiros?
Para que queres Roldão?