Página:Contos em verso.djvu/67

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
VAGABUNDO
 

O Mathias, coitado,
Vive sabe Deus como, que é casado
E duzentos mil rèis mensaes apenas ganha,
Pois lhe ha sido tamanha
A ingratidão dos fados deshumanos,
Que elle ainda hoje tem o parco vencimento
De quando começou, ha muitos annos,
N’uma repartição...

Caminho lento
Percorre o funccionario
Que se mostre á mesura refractario,
E, mettido comsigo
De toda a gente não se faça amigo,
Nem serviços allegue
E da sorte ao capricho apathico se entregue.
Era assim o Mathias,
E, passavam-se dias
Semanas, mezes, annos, sem que o mundo
Lhe ouvisse a menor queixa.

De Catumby no fundo,
N’uma viela que a montanha fecha,
Reside o pobretão em companhia