Página:Curso de litteratura portugueza e brazileira (Sotero dos Reis, 1866, v 1).djvu/54

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

nuvem, origem, ordem; dos ablativos dos substantivos latinos facies, planities, fides, sedes, com supressão de letras, os substantivos portugueses face, planície, fé, sé; dos ablativos dos substantivos latinos caseus, despectus, formaram-se, com substituição e adição de letras, os substantivos portugueses queijo, desprezo; e assim os demais inumeráveis substantivos portugueses de origem latina.

Podia eu estender esse exame comparado aos adjetivos, aos verbos e às partes da oração invariáveis; e vereis que as diferenças a notar em relação à constante e íntima analogia entre os dois idiomas são tão insignificantes, que não fazem com que o Português desdiga um só momento de sua pura origem latina; entendo, porém, que não devo cansar a vossa atenção com coisas que se acham ao alcance de todos os que têm estudado seriamente o Latim.

Nasceu, pois, o Português diretamente do Latim e com maior parecença com a língua mãe por sua perfeita analogia, que nenhum outro dos idiomas cultos da mesma filiação. Há pedaços extensos em português, compostos por alguns curiosos e formando sentido perfeito, que tanto se podem ler em Latim, como em Português, e de que para evitar proximidade não produzimos aqui exemplo.

Assim, colocarei os idiomas cultos derivados do Latim por esta ordem de filiação analógica: em primeiro lugar, o Português; em segundo, o Italiano; em terceiro, o Espanhol; em quarto, o Francês.