Página:Diccionario Bibliographico Brazileiro v1.pdf/148

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Antonio Candido de Almeida e Silva — E' natural da provincia de S. Paulo, formado em sciencias sociaes e juridicas pela faculdade da mesma provincia, e exerce a profissão de advogado.

Escreveu:

Regimento das custas. S. Paulo, 18**.


Antonio Candido da Cruz Machado — Natural da cidade do Serro, provincia de Minas Geraes, nasceu a 11 de março de 1820.

Representou sua provincia na camara temporaria e a representa na vitalicia desde 1874; presidiu as provincias de Goyaz, do Maranhão e da Bahia; é commendador da ordem da Roza, etc.

Escreveu:

Diversos relatorios — por occasião de administrar as provincias já mencionadas.

Memoria relativa ao projecto de uma nova divisão administrativa do Imperio do Brazil. Rio de Janeiro, 1873 1, in-4.º — No archivo militar foi neste mesmo anno lithographada uma carta da provincia do Araguaya, segundo o projecto do senador Cruz Machado, a qual foi desenhada por J. R, da Fonseca Silvares, e como esta mais outras, a saber: da provincia de Sapucahy, da de Entre-Rios, da de Minas Geraes, da de Januaria, da de Santa Cruz, e da do Piauhy.

D'entre seus numerosos discursos, constantes dos annaes do parlamento, se acham alguns publicados em opusculos, como:

Construcção de estradas de ferro na provincia do Rio Grande do Sul: discurso pronunciado na camara dos senhores deputados na sessão de 18 de julho de 1873. Rio de Janeiro, 1873,48 pags. in-8º gr.

Creação da provincia de S. Francisco: discurso, proferidos na camara dos senhores deputados nas sessões de 10 e 28 de maio de 1873. Rio de Janeiro, 1873. Dous vols.

Discurso etc. em resposta ás accusações feitas a sua excellencia e ao povo bahiano na camara dos senhore deputados na sessão de 11 dá julho de 1874. Rio de Janeiro, 1874. 44 pags. in-4.º


Antonio Candido da Cunha Leitão — Filho do doutor Antonio Gonçalves de Araujo Leitão e de dona Anna Rosa da Cunha Leitão, nasceu na cidade do Rio de Janeiro a 23 de outubro de 1845, e depois de bacharelado em lettras pelo imperial collegio de Pedro II, fez o curso de sciencias sociaes e juridicas na faculdade de S. Paulo, onde recebeu o grau de bacharel em 1868, e o de dou tor' em 1869.

Apenas deixando a faculdade, foi neste ultimo anno nomeado oflicial de gabiuete do ministro e secretario de estado dos negocios da justiça, que era então o conselheiro José Martiniano de Alencar, e serviu neste cargo até abril de 1871, data em que foi nomeado presidente da província de Sergipe. Representou a provincia do Rio de Janeiro mais de uma vez na assembléa provincial, e na geral na legislatnra de 1872 a 1875, e