Página:Diccionario Bibliographico Brazileiro v1.pdf/201

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
176
AN


terio na casa pia dos orphãos da Bahia. Ultimamente leccionava pelo methodo de Castilho, seu amigo, que em sua passagem pela Bahia o visitou em seu estabelecimento. Escreveu:

Compendio grammatical, reduzido a dialogo, para uzo dos principiantes no ensino das primeiras lettras por A. Gentil Ibirapitanga. Bahia, 1865 - Esta não é a primeira edição deste compendio, entretanto nada se declara no frontespicio do livro, e ainda occorre á primeira folha o seguinte sob o titulo de Advertencia: « O mundo marcha e com elle a civilisação e a sciencia. Os erros se emendam e os enganos se corrigem. Vendo que a grammatica de Gentil, impressa ultimamente na França, não só veiu pejada de erros (alguns dos quaes pareceram ser do autor e não da impressão) resolvi-me, baseado na mesma grammatica, e fazendo as alterações que a sciencia grammatical exige, fazer uma nova edição e publical-a para maior intelligencia dos meninos de primeiras lettras. » E esta advertencia nenhuma assignatura traz, nem ha indicio de quem seja o autor della.

Plano para o ensino elas primeiras lettras, aproveitado dos tres methodos: mutuo, individual e simultaneo — Vem no Musaico, pags. 232 e seguintes, Bahia, 1846. Assevera o autor lettrado bons resultados desse plano, e de directoria do Musaico o recommenda ao conselho da instrucção publica.


Antonio Gomes Ferreira Brandão — Sei apenas que estudara direito e obtivera o grau de bacharel, exercera o cargo de secretario da legação brazileira em Paris, e escreveu:

Retrato do imperador Marco Aurelio, feito por elle mesmo no livro primeiro de suas Reflexões, etc.; offerecido a sua magestade o senhor dom Pedro II, Imperador do Brazil. Paris, 1832 — Esta obra traz o texto em grego ao lado da traducção portugueza, e dous retratos lythographados, o do imperador a quem é offerecilla a traducção, e o do imperador Marco Aurelio.


Antonio Gomes Ferreira de Castilho - Natural da Bahia, onde vivia nos ultimas annos do seculo XVII, era morgado da Ponte-ela-Folha e reunia todos os dotes que podem constituir uma perfeita felicidade, os da natureza. da fortuna e da nobreza; cultivou as lettras e era poeta, revelando desde criança um talento maravilhoso, sobretudo para a satyra, em que se tornou rival de seu conterraneo Gregorio de Mattos, Escreveu, segundo affirma Bento da Silva Lisboa, na sua Memoria das pessoas illustres da Bahia, muitas

Satyras, elegias, etc. — que o mesmo Lisboa considerava sublimes. Só vi, porém, de Castilho:

Despedidas a meu filho: soneto — que vem no Musaico poetico de Emilio Adet e J. Norberto de Souza e Silva, e é seguido de outro soneto, em resposta, de seu filho Pedro Gomes Ferreira de Castilho.