Página:Diccionario Bibliographico Brazileiro v1.pdf/386

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
AU
361

Muito moço, vindo para o Brazil que adoptara por patria, entrou para o serviço da armada imperial desde a independencia, vencendo todos os postos até o de chefe de esquadra em que se reformou por decreto de 22 de maio de 1857, e além dos serviços propriamente da armada, desempenhou outros de engenharia e exerceu por diversas vezes o cargo de presidente e commandante das armas desta provincia. Era grande do imperio, commendador da ordem de S. Bento de Aviz, official da ordem da Roza, cavalleiro da do Cruzeiro, condecorado com a medalha geral da campanha contra o Paraguay, socio do instituto historico e geographico brazileiro, etc.

Incansavel em estudos e explorações geographicas, a que se deu por toda a provincia de Mato Grosso e pelos rios que lhe são limitrophes, escreveu muito sobre taes estudos e explorações, sendo para lamentar-se que quasi todos os seus trabalhos ficassem ineditos. Suas obras são:

Diversos relatorios — no exercicio do cargo de presidente de Mato Grosso, impressos pela provincia.

Diccionario geographico da provincia de Mato Grosso — Inedito. A primeira parte é dividida em sete quadernos: com 134 pags. : a segunda e terceira, em dezoito quadernos, têm por titulo:

Apontamentos chronologicos da capitania de Mato Grosso — tendo a segunda parte 235 pags. e a ultima 102 pags. Este importante diccionario comprehende datas de 1715 a 1878. Elle dá noticias minuciosas do vasto territorio do Brazil, de suas minas, do seu governo e de cada um de seus governadores e capitães-generaes, dos presidentes, vice-presidentes, commandantes das armas, juizes de direito, chefes de policia e outros funccionarios, e dos indios da provincia. Existe o autographo na bibliotheca nacional, e na sessão do instituto historico de 7 de dezembro de 1882 foi apresentada pelo conselheiro H. de Beaurepaire Rohan uma cópia da obra completa, ou antes das duas obras, para que fossem impressas, sendo enviada a mesma cópia á commissão respectiva afim de examinal-a. Dos trabalhos que possuimos sobre essa importante e vasta porção do imperio, até hoje, é o mais completo.

Memoria sobre o rio Paraguay desde Nova Coimbra até Assumpção. 1844 — O original existe na secretaria do imperio.

Diario e roteiro da viagem feita desde a cidade de Assumpção no Paraguay até a Bahia Negra. 1844 — Ha duas cópias, uma de 38 e outra de 41 pags. in-fol. no archivo militar.

Diario do reconhecimento do rio Paraguay desde a cidade da Assumpção até o rio Paraná. 1846 — Existe uma cópia de 33 pags. no mesmo archivo, e foi publicado na Revista do instituto historico, tomo 25°, pags. 177 a 210.

Roteiro da navegação do rio Paraguay desde a foz de S. Lourenço até o Paraná. 1847 — Foi publicado na mesma revista e no mesmo volume, pags. 210 a 285, e traduzido para o francez pelo doutor A. Moure, sahiu depois no Bulletin de la societé de geographie de Paris, 5me serie, vol. 8°, 1864 e voI. 9°, 1865.