Página:Diccionario Bibliographico Brazileiro v1.pdf/91

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


O primeiro tenente Alvaro de Carvalho dedicou-se muito á litteratura, principalmente a dramatica, e escreveu:

- Pedro Martelli: drama em quatro actos e um prologo. Santa Catharina, 1865.

- Raymundo: drama em cinco actos. Santa Catharina, 1868 - E' uma publicação posthuma. Sei que além destes escrevera

- Diversos dramas - de que foram publicados ou levádos á scena alguns, e outros se conservavam ineditos e desconhecidos.


Alvaro Joaquim de Oliveira - Nasceu na cidade da Fortaleza, capital do Ceará, sendo seus paes Joaquim José de Oliveira e dona Joaquina Roza de Oliveira.

Tendo feito todo o curso de engenharia militar, serviu no exercito, como official de engenheiros, desde o posto de segundo tenente até o de major a que foi promovido por merecimento a 13 de Maio de 1871, e de que pediu pediu demissão em 1872.

E' bacharel em mathematicas, lente de chimica inorganica da escola polytechnica, engenheiro fiscal da companhia dos melhoramentos da cidade do Rio de Janeiro; tem servido outros cargos, como e de fiscal da companhia da estrada de ferro S. Paulo e Rio de Janeiro; foi um dos fundadores da associação mutua de pensões para a invalidez, e velhice, e de monte-pio, intitulada Previdencia; é cavalleiro da ordem de Christo, etc.

Escreveu diversos trabalhos officiaes no exercicio dos corpos que serviu, como o

- Relatorio da companhia S. Paulo e Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 1875, in-fol. - E além disto:

- Secca do Ceará. Açudes, arborisação, estradas de ferro. Rio de Janeiro, 1878, 83 pags. in-4.º

- O radiometro de Crokes: estudos, Rio de Janeiro... Não pude ver esta obra, mas sei que é importante.

- Planta da linha telegraphica de Campos a S. Francisco de Paula. Maio, 1874 - Está na collecção das linhas telegraphicas construidas no Imperio do Brazil pela repartição dos telegraphos.

- Planta de Pelotas a Jaguarão - Idem.


Alvaro José Xavier - Era presidente do corpo do governo em Goyaz, e foi elle quem no dia do juramento da constituição do imperio, a 22 de maio de 1824, no meio dos applausos e geral regosijo, ao sahir da igreja se dirigiu á tropa que se achava postada na praça, e ao povo, annunciando se achar jurada a constituição, e dando vivas á religião, ao Imperador, á constituição e á independencia.

Escreveu:

- Memoria sobre a navegação do Uraguay, escripta em julho de 1808 e dedicada a dom Rodrigo de Souza Coutinho - Vi-a mencionada na