Página:Diccionario Bibliographico Brazileiro v5.pdf/245

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
JU
241

Jovita Duarte Silva - Filho do commendador Francisco Duarte Silva e natural da provincia de Santa Catharioa, ahi falleceu a 20 de maio de 1875, com 30 annos de edade. Militou em toda a campanha contra o governo do Paraguay, na qual recebeu ferimentos, de que nunca ficou completamente são. Era tenente de infantaria do exercito, oficial da ordem da Rosa, cavalleiro da de Christo, condecorado com a medalha de merito, e membro correspondente da sociedade Ensaios litterarios do Rio de Janeiro. Escreveu :

- Eulalia: romance original catharinense. Santa Catharina, 1862, 95 pags. in-12.°

D. Julia Cortines - Filha do doutor Julio Cezar Cortines Laxe, de quem já occupei-me, é natural do Rio de Janeiro e cultora das musas. Escreveu:

- Versos. Rio de Janeiro, 1894, 120 pags. com um prefacio pelo Dr. Lucio de Mendonça - E' dividido este livro em duas partes e já sua apparição havia sido annunciada pelo Jornal do Commercio de 14 de julho de 1891 com a noticia de uma reunião de litteratos para ouvirem algumas estrophes delle, que foram muito applaudidas. Tem no periodico A Família algumas composições, como:

- Fragmentos : poesia - No anno 2°, pag. 48.

D. Julia Lopes de Almeida - Filha do Visconde de S. Valentim, dr. Valentim José da Silveira Lopes e dona Adelina Pereira Lopes, e casada com o poeta portuguez Filinto de Almeida, nasceu no Rio de Janeiro a 24 de setembro de 1862, e é irmã da poetisa dona Adelina Amelia Lopes Vieira, de quem occupei-me no primeiro volume deste livro. Dedicando-se ás lettras, começou a publicar na Gazeta de Campinas varios folhetins e contos, e depois escreveu:

- Contos infantis. Lisbôa, 1886, 171 pags. in-8° - Contém este livro 60 contos ou narrativas destinadas á instrucção da infancia, sendo 33 em verso e 27 em prosa, de collaboração com sua irmã dona Adelina a quem pertencem os primeiros. Adoptados para uso das escolas primarias, tiveram esses contos segunda edição no Rio de Janeiro, em 1892.

- Traços e luminarias. Lisbôa, 1888, 264 in-8° - São tambem contos e de mais folego.

- A familia Medeiros. Campinas (?) 1892, 362 pags. in-4° - Nunca vi este livro, e creio que teve segunda edição em 1895, porque vi em abril deste anno a offerta delle a uma folha da imprensa diaria do Rio de Janeiro, e neste anno egual offerta ao D. Quixote. Foi tambem publicado em folhetim na Gazeta de Noticias.

Vol. V - 15