Página:Diccionario Bibliographico Brazileiro v5.pdf/246

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
242
JU

- A viuva Simões: romance. Lisbôa, 1897, in-8° - Este romance foi publicado na Gazeta de Noticias do Rio de Janeiro, em 1895.

- Livro das noivas. Rio de Janeiro, 1896, in-8° - Depois de occupar-se com as incertezas, as duvidas ácerca do casamento, trata a autora da economia domestica e de outros assumptos de que deve ser instruida a esposa e mãe.

- O caso de Ruth: (romancete) no Almanak da Gazeta de Noticias para 1897, pags. 35 a 46.

- A cara della. As rosas (Dous artigos) - Idem de 1898, pags. 227 e 293.


D. Julia Maria da Costa - Filha de Alexandre José da Costa e dona Maria Leopoldina da Costa, nasceu na cidade de Paranaguá, na antiga provincia do Paraná, a 1 de julho de 1844. Na edade de dez annos, orphã de pae, passou a residir com seu tio o tabellião João José Machado da Costa, na cidade de S. Francisco, da provincia de Santa Catharina. Cultivou, muito joven, a poesia e escreveu:

- Flores dispersas: poesias. Desterro, 1867-1868, in-8° - Foram publicadas estas poesias por animação do padre Joaquim Gomes de Oliveira Paiva, de quem occupei-me neste livro, e essa publicação foi feita em dous volumes ou series.


Juliano José de Miranda - Nascido na Bahia, no anno de 1842, ahi falleceu em outubro de 1890, conego da Sé metropolitana, secretario e archivista da secretaria archiepiscopal e thesoureiro da caixa pia. O arcebispo, Conde de S. Salvador, dedicava-lhe sincera amisade. Foi o fundador e redigiu:

- Chronica religiosa: periodico consagrado aos interesses da religião sob os auspicios do Exm. Arcebispo Conde de S. Salvador. Bahia, 1870-1874, in·fol.- Penso que este periodico publicou-se ainda alguns annos. Escreveu entre outros trabalhos:

- Breve apreciação da carta do Sr. Luiz Olympio Telles de Menezes sobre o spiritismo, ao Exm. e Rvm. Sr. Arcebispo, dedicada ao mesmo Exm. senhor, Babia, 1867, 65 pags. in-8.°


D. Julieta de Mello Monteiro - Irmã da mimosa e sympathica litterata dona Revocata Heloisa de Mello, de quem opportunamente occupar-me-hei, é natural do Rio Grande do Sul, poetisa no desferir a apollinea lyra não menos mimosa e sympathica do que sua