Página:Diccionario bio-bibliographico cearense - volume primeiro.djvu/132

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


me occuparei, e de D.ª Maria S. Olympia da Rocha, e natural de Fortaleza.

Falleceu de uma lesão organica do coração a 25 de Junho de 1885 com 22 annos de edade.

Deixou tres volumes de poesias, Farfalhas, Musa antiga e Fagulhas, promptos para o prelo mas infelizmente ainda inéditos. Fabrino e Sergio Pessoa eram os pseudonymos de que usou no Cearense e Constituição, jornaes de Fortaleza. Foi um dos fundadores da Caixa Emancipadora Pedro Pereira, do Recife.

Redigiu com Figueira Lima O Porvir (1880).

Antonio Pacheco Mendes (Dr.) — Filho de José Mendes e D.a Quiteria Pacheco Mendes, nasceu a 24 de Fevereiro de 1857 na cidade do Aracaty, donde sahiu com cinco annos para o Estado do Rio Grande do Norte. Estudou primeiras letras em Pernambuco e humanidades no Seminário de Fortaleza. Ao encetar o curso theologico e já capaz de receber a tonsura, Pacheco Mendes preferiu a carreira de medico, partiu para Bahia em 1872 e entrou para o collegio S. José, o estabelecimento de educação de maior renome naquella adiantada capital. Em Março de 1875 matriculou-se na Faculdade de Medicina, e a 20 de Dezembro de 1880 recebeu o gráu de Doutor, tendo feito no Rio de Janeiro o 3.º anno do curso.

A 14 de Março de 1881 seguiu para a Europa e depois de ouvir as lições de celebres mestres de Paris, Vienna e Londres voltou em Março de 1883, concorrendo então ao concurso aberto para preenchimento da cadeira de Anatomia e Physiologla Pathologicas.

Nomeado para a dita cadeira por Dec. de 23 de Outubro de 1883, regeu-a como cathedratico até 1891, epocha em que foi a pedido, e por assim permittirem os Estatutos, transferido para a primeira cadeira de Clinica Cirúrgica, em que se conserva.

Em 1891 foi nomeado pelo governador do Estado da Bahia, Marechal Hermes da Fonseca, para Intendente da Capital, logar que exerceu apenas 48 horas por ter de seguir

113