Página:Diva - perfil de mulher.djvu/50

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


— Adeus!

— Que é isso, Mila?

— Vou-me embora. Não vê?

— Ainda o baile nem começou!

— Acha você que estou muito decente? disse abrindo a manta e mostrando a escumilha esgarçada sobre o forro de cetim.

— Que foi isto? Quem lhe pôs nesse estado?

— Quem?... Um pé!...

Já viste alguma vez, Paulo, amesquinhar assim um homem e esmagá-lo com uma palavra?

Emília atribuía a mim o que lhe acontecera; e não achava para designar-me nem o meu nome, nem mesmo a minha qualidade de criatura humana. Era uma coisa, uma parte desprezível do corpo, um pé!

Não sei o que na minha indignação ia responder-lhe, se ela me desse tempo, e não se afastasse rápida.

— Mas isto conserta-se! disse Julinha seguindo-a. Venha cá!

— Não vale a pena. Adeus.

Retirou-se pelo braço do pai, risonha, sem a menor sombra de contrariedade.

Durante o resto da noite fui o alvo dos remoques dos apaixonados de Emília; olhavam-me com a escarninha comiseração que inspirava neles o meu desazo. Por outro lado, as moças pareciam agradecer-me o serviço que lhes prestara com o eclipse da beleza-rainha da noite.

Uma chegou até a dizer-me: