Página:Diva - perfil de mulher.djvu/49

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


ditas estas palavras! O ferro boto não penetra, serrando as carnes, com dor mais intensa, do que deixavam essas palavras rasgando-me os seios d'alma!

Ainda me adiantei exclamando:

— É uma injustiça, minha senhora!...

Por toda resposta, ela curvou-se para colher as orlas espedaçadas do vestido; arrancando uns fragmentos que arrastavam ainda, atirou-os de si; eles vieram cair a meus pés, e eu apanhei-os estupidamente.

Duvidei de mim um momento. Teria eu insensivelmente pisado a fímbria da saia? Mas como, se ficara imóvel, e nem sequer me voltara? Junto de mim não estava outra pessoa; era pois ela própria quem, para não roçar-me passando, rasgara sem querer o seu vestido, e se aproveitara do incidente para mortificar-me.

Podia eu imaginar que ela tivesse por acinte a mim sacrificado deliberadamente sua elegância e os triunfos que lhe prometia o baile, coisas que só ao entusiasmo da primeira paixão sacrificam raras mulheres, as heroínas do amor?

Tocava a contradança: dei o braço a Julinha. Como já me aborrecia esse baile antes de começar!

Não via Emília; procurava-a nas quadrilhas já formadas, quando ela surgiu diante de nós, envolta em sua ampla mantilha cor de cinza, que lhe ocultava todo o corpo e cingia com uma das pontas o colo e parte da cabeça. Estendeu a mão à prima: